Resumo Trabalho

A REPRESENTAÇÃO SOCIAL DE QUALIDADE DE VIDA DE IDOSOS NO CONTEXTO INSTITUCIONAL

RIVANDRA DA SILVA COSTA, GEAN LUCAS DE PONTES SILVA e orientado por RAQUEL MERCEDES PINTO MASCARENO e orientado por RAQUEL MERCEDES PINTO MASCARENO

O presente trabalho constitui um relato de experiência de uma atividade realizada dentro de uma Instituição de Longa Permanência para Idosos – ILPI sobre Qualidade de Vida. A Organização Mundial de Saúde – OMS, considera Qualidade de Vida como a percepção que o indivíduo tem da sua posição na vida dentro do contexto da cultura e dos valores onde vive, relacionada aos seus objetivos e expectativas. Mas, a qualidade de vida é um tema pouco estudado da perspectiva dos idosos, e que pode ser estudado pela teoria de representações sociais porque o conceito de representação social é um conceito subjetivo, sócio-histórico e dependente do nível sociocultural, da idade e das aspirações pessoais. A atividade foi realizada com 6 idosos e teve por objetivo analisar as representações sociais dos idosos sobre qualidade de vida, conhecer o seu estado emocional e dar uma devolutiva à Instituição sobre os resultados encontrados. Após autorização dos gestores, foram realizadas 3 visitas à Instituição. Na primeira foi observada a estrutura física e os recursos humanos da ILPI. Na segunda foi aplicada uma técnica de dinâmica individual, para captar o estado emocional dos idosos no momento em que foi aplicada a atividade, e foi realizada uma entrevista semiestruturada com cada um dos 6 idosos. E na terceira visita foi realizada uma entrevista devolutiva com o coordenador da instituição. Verificou-se que os idosos têm uma representação social de Qualidade de vida associada a saúde, família estruturada, boas relações interpessoais e autonomia. Mas esta qualidade de vida se encontra comprometida na velhice, principalmente em relação à autonomia, visto que afirmam terem privação de autonomia sobre seus afazeres e escolhas. O fato de 4 dos 6 idosos terem associado emoções negativas ao seu convívio na instituição pode estar associado a esta privação. De maneira geral os dados encontrados, corroboram com o resultado de pesquisa anterior, de que para os idosos institucionalizados, a qualidade de vida, é algo que lhes falta, que perderam ou que buscam. Na devolutiva com o coordenador da ILPI, foram levantados alguns questionamentos, sobre a dificuldade encontrada pelos idosos para efetivação da qualidade de vida. Ressaltamos a importância da devolutiva à Instituição para melhorar a qualidade de vida dos idosos acolhidos, assim como a necessidade de se promover novas reflexões e mudanças nas ILPI’s, no que se refere aos direitos dos idosos, à saúde mental, ao bem-estar biopsicossocial e à Qualidade de vida, de acordo com o Estatuto do Idoso.

Veja o artigo completo: PDF