Resumo Trabalho

DOENÇAS AUTOREFERIDAS COM IDOSOS ATENDIDOS EM ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA

LÚCIA RAIZA FEITOSA ALVES DE OLIVEIRA, REBECA CAVALCANTI LEAL, HANNAH KAROLYNE VIEIRA DE LUCENA, WALESKA ARAÚJO DE PONTES e orientado por CYNTHIA ROBERTA DIAS TORRES SILVA

O AUMENTO DO NÚMERO E PROPORÇÃO DE IDOSOS ESTÁ ASSOCIADO À MAXIMIZAÇÃO DAS DOENÇAS NÃO TRANSMISSÍVEIS. ESTUDOS EPIDEMIOLÓGICOS MOSTRAM QUE MAIS DA METADE DAS PESSOAS COM 60 ANOS APRESENTAM UM OU MAIS FATORES DE RISCO DE DESENVOLVER COMORBIDADES, E PELO MENOS 85% DESTA POPULAÇÃO APRESENTA AO MENOS UMA DOENÇA CRÔNICA NÃO TRANSMISSÍVEL. TRATA-SE DE UM ESTUDO EXPLORATÓRIO, DESCRITIVO E TRANSVERSAL, DE ABORDAGEM QUANTITATIVA, REALIZADO EM UMA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA (ESF) NO MUNICÍPIO DE PESQUEIRA, EM PERNAMBUCO, BRASIL. A POPULAÇÃO ESTUDADA CONSTATOU 103 IDOSOS RESIDENTES NA REFERIDA COMUNIDADE. O PADRÃO DE MORBIDADE DESSES INDIVÍDUOS EVIDENCIOU A PRESENÇA DE DOENÇAS CRÔNICAS COM MAIOR PREVALÊNCIA DE PROBLEMAS CARDÍACOS (58,3%), MUSCULOESQUELÉTICOS (31,1%), ENDÓCRINOS (25,2%) E RESPIRATÓRIOS (7,8%). COM RELAÇÃO À PRESENÇA DE INCONTINÊNCIA URINÁRIA, A MAIORIA NÃO APRESENTAVA DISTÚRBIOS DE MICÇÃO. ASSIM, OS RESULTADOS OBTIDOS NESTE ESTUDO PERMITEM AVALIAR A PREVALÊNCIA DE DIVERSAS DOENÇAS QUE ATINGEM A POPULAÇÃO IDOSA E COMO ISSO PODE INFLUENCIAR DIRETAMENTE EM SUA QUALIDADE DE VIDA, SENDO ESSENCIAL QUE OS PROFISSIONAIS ATUANTES DA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA, PRINCIPALMENTE O ENFERMEIRO, POSSAM AVALIAR AS NECESSIDADES DOS IDOSOS E COMO DETERMINADAS DOENÇAS PODEM INFLUENCIAR ESTA POPULAÇÃO. E A PARTIR DESSES DADOS OPERACIONALIZAR PRÁTICAS EDUCATIVAS DE PREVENÇÃO E PROMOÇÃO DA SAÚDE, VISANDO UMA CONDUTA SINGULAR A COMUNIDADE ATENDIDA.

Veja o artigo completo: PDF