Resumo Trabalho

AVALIAÇÃO DO GRAU DE DEPENDÊNCIA À NICOTINA EM IDOSOS

ADÉLIA MARIA DO CARMO RODRIGUES, BRENDA MARIA SILVA BEZERRA, MARIA EDUARDA LIMA OLIVEIRA e orientado por CLÉSIA OLIVEIRA PACHÚ

A ABORDAGEM AO TABAGISMO EM IDOSOS SE EMPENHA NO ENTENDIMENTO DAS ESPECIFICIDADES DE CADA PACIENTE NO TRATAMENTO TABAGISTA CONSIDERANDO O MAIOR GRAU DE DEPENDÊNCIA À NICOTINA NESSA FAIXA ETÁRIA. NESTA FASE DA VIDA REFLETINDO DIRETAMENTE NO AUMENTO DO NÚMERO DE PROBLEMAS DE SAÚDE E MAIOR DIFICULDADE EM ABANDONAR O CIGARRO. OBJETIVOU-SE AVALIAR O GRAU DE DEPENDÊNCIA À NICOTINA EM IDOSOS. A PRESENTE PESQUISA QUANTITATIVA DESCRITIVA FOI REALIZADA COM PACIENTES TABAGISTAS COM IDADE IGUAL OU MAIOR QUE 60 ANOS QUE BUSCARAM O HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ALCIDES CARNEIRO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE, PARAÍBA PARA TRATAMENTO DO TABAGISMO, NO PERÍODO DE SETEMBRO A NOVEMBRO DE 2018. FOI REALIZADA ENTREVISTA SOCIAL E, A MÉDIA DE IDADE DOS ENTREVISTADOS EQUIVALE A 66,09 ANOS, TAMBÉM FOI APLICADO O TESTE DE FARGESTRÖM ESTE CLASSIFICA O GRAU DE DEPENDÊNCIA À NICOTINA EM MUITO BAIXO, BAIXO, MÉDIO, ELEVADO OU MUITO ELEVADO. DOS PESQUISADOS, 23,8% APRESENTARAM O GRAU DE DEPENDÊNCIA À NICOTINA ELEVADO. A PARTIR DOS RESULTADOS, FOI POSSÍVEL TRATAR ESTRATÉGIAS PARA O TRATAMENTO DE SUPRESSÃO DO CIGARRO. DESSE MODO, A REALIZAÇÃO DO TESTE DE FARGESTRÖM INDIVIDUALIZA O TRATAMENTO EM CONFORMIDADE COM AS NECESSIDADES DO PACIENTE, AUMENTANDO A PROBABILIDADE DO ÊXITO CONDUZINDO, COM A CESSAÇÃO DO FUMO, A UMA MELHOR QUALIDADE DE VIDA DO IDOSO.

Veja o artigo completo: PDF