Resumo Trabalho

EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO DO DETRAN/TO FUNDAMENTA AÇÕES JUNTO AOS ACADÊMICOS DA UMA/UFT.

CLEIDE DE SOUSA MORAIS, DOMINGAS MONTEIRO DE SOUSA e orientado por NEILA BARBOSA OSÓRIO e orientado por NEILA BARBOSA OSÓRIO

O envelhecimento da população no brasileira, em especial a partir da década de 50, estimulou diversos estudos e legislações foram elaborados para garantir maior autonomia aos indivíduos acima de 60 anos. Nesta perspectiva o Brasil tem se destacado no cenário mundial quanto aos problemas relativos ao trânsito, situação em que o idoso tem sido agredido constantemente, ora verbalmente, ora fisicamente. Assim, neste espaço se verifica que os transeuntes idosos são desrespeitados no tocante ao direito de ir e vir no que diz respeito aos cuidados no trânsito, todavia, convivemos na utilização dos espaços públicos, e os idosos não são observados como seres integrantes do convívio social no trânsito, dentre as dificuldades encontradas temos rampas inacessíveis, obstáculos sobre calçadas, entre outros. Para que uma cidade seja amiga do idoso promovendo o envelhecimento saudável, é necessário que tenha projetos sustentáveis no trânsito, visto que qualidade de vida começa no trânsito. Apresentamos a desconstrução estigmatizada do tratamento dirigido aos idosos no trânsito, fator que promove uma vida saudável a qual advém do dia a dia, fazendo com que idosos sejam respeitados no trânsito, para a construção da cidadania consciente. Com o aumento da expectativa de vida, e, à necessidade de compreender que se deve conviver com os idosos de maneira a proporcionar-lhes um trânsito mais seguro, apresentamos o elo entre a educação para o trânsito e a intergeracionalidade nas vias públicas, disciplina que tem sido vivenciada pelos acadêmicos da Universidade da Maturidade da Universidade Federal do Tocantins (UMA/UFT), para que viabilizem as informações no processo do exercício do respeito ao próximo. Atualmente a educação para a construção de cidadania tem sido evidenciada tanto nas escolas, como nas vias públicas. Havendo, portanto uma necessidade intrínseca de ser exercido o direito de locomoção, independentemente do modo que proporciona a acessibilidade e mobilidade de cada indivíduo. O estudo foi realizado com os acadêmicos da UMA/UFT Polo de Araguaína, cidade localizada a 384 km da capital do Tocantins, Palmas. A metodologia para o desenvolvimento do trabalho de segurança viária com os acadêmicos da UMA/UFT, tem um conjunto de abordagens técnicas e processos utilizados pela ciência para formular e resolver problemas de aquisição objetiva do conhecimento, de uma maneira sistemática. Para elaboração do procedimento metodológico foi realizada uma pesquisa bibliográfica e documental para mensuração e descrição do conhecimento, e como instrumento para levantamento de dados a utilização de Leis, tratados, jurisprudências, bibliografias, artigos científicos e teses de mestrado. A seleção das obras pesquisadas se dá através de materiais de cunho científico. A análise do material pesquisado tem como intuito identificar, interpretar e descrever os elementos referentes ao objetivo geral da pesquisa, analisar os procedimentos que levam o respeito aos idosos no trânsito. As palavras chaves utilizadas na busca foram, idosos, envelhecimento, educação para o trânsito, intergeracionalidade e educação gerontológica. O trabalho desenvolvido com os acadêmicos da UMA/UFT, trouxe o entendimento dos seus direitos e deveres enquanto transeuntes de uma cidade, assim como devem se portar quando há acessibilidade viária ou não.

Veja o artigo completo: PDF