Resumo Trabalho

ONCOLOGIA GERIÁTRICA: UMA CONSULTA DE ENFERMAGEM ALÉM DA CLÍNICA

HALLANA LAISA DE LIMA DANTAS, KETLENN FRANCIELLEN OLIVEIRA DE LIMA, JOYCEANE ALVES DE OLIVEIRA, PAULA MARIANA FRAGOSO TORRES e orientado por FERNANDA SILVA MONTEIRO e orientado por FERNANDA SILVA MONTEIRO

Introdução: A realização da consulta de enfermagem traz grandes benefícios à terapêutica da pessoa idosa executada de forma sistematizada permitindo pontuar os problemas dos idosos de maneira particular. Este relato objetiva compartilhar a experiência de realização da consulta de enfermagem com finalidade de discutir, compreender e tecer novas perspectivas que exaltem a importância das informações não verbais e/ou não patognomônicas que o paciente idoso pode revelar durante a consulta. Metodologia: Foi realizada uma consulta de enfermagem com um paciente idoso do sexo masculino, tabagista acometido por câncer de laringe. no Centro de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (CACON) do Hospital Universitário Professor Alberto Antunes, órgão suplementar da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), com uma visão humanizada e holística. Foi pontuado e considerado pertinente a presença de expressões não verbais que indicavam risco de depressão, aceitação de dieta prejudicada e agitação. Resultados e Discussão: Na expectativa de verbalização sobre autoestima ou referência a sensação dolorosa, o paciente foi questionado quanto a presença de desconforto doloroso durante o exame físico, em seguida sobre suas comidas favoritas e como sua alimentação mudara. O paciente revelou ausência de dor, mas falou durante cerca de 25min sobre sua perda de peso, e o quanto sua aparência não é compatível com o que ele reconhece de si mesmo, além do preconceito social que vinha sofrendo devido a sua magreza. Conclusão: A comunicação permite transmitir informações claras e objetivas, para proporcionar maiores escolhas e resoluções, sendo indispensável para uma assistência de qualidade. Por conseguinte, ela colabora para a promoção do cuidado emocional, a partir da habilidade de perceber o imperceptível, exigindo alto nível de sensibilidade e empatia para as manifestações verbais e não verbais do cliente que possam denunciar ao enfermeiro suas fragilidades individuais.

Veja o artigo completo: PDF