Resumo Trabalho

A REPERCUSSÃO DA DEMÊNCIA NAS ATIVIDADES DE VIDA DIÁRIA DO IDOSO

ANNA CRISTINA DA SILVA SANTOS e orientado por CARLÚCIA ITHAMAR FERNANDES FRANCO e orientado por CARLÚCIA ITHAMAR FERNANDES FRANCO

Objetivo: Evidenciar a influência da demência sobre o estado cognitivo e as atividades básicas e instrumentais da vida diária de indivíduos portadores de demência. Métodos: estudo transversal, observacional, descritivo e analítico com abordagem quantitativa. Total de 44 indivíduos com diagnóstico de demência, atendidos no Serviço Municipal de Saúde. Instrumentos utilizados para coleta de dados: Questionário sociodemográfico e clínico, Mini Exame do Estado Mental (MEEM), a Escala de Avaliação Clínica da Demência (CDR) e a Escala de Avaliação de Incapacidade para Demência (DAD) para medir o desempenho nas atividades da vida diária. Dados analisados através do programa estatístico SSPS Statistics 22.0, sendo considerados valores significantes p<0,05. Resultados: Os indivíduos apresentaram idade média de 79,37±8,1 anos, com predominância do sexo feminino (74%). Verificou-se que 31,8% eram incapazes de realizar o MEEM, dentre os que realizaram o teste, 68,2% apresentaram valores de 11,66±6,32 no escore total, indicando comprometimento cognitivo grave. Estadiamento da demência na CDR: demência grave (52,3%), demência moderada (31,8%). A escala DAD apresentou média de 26,5%, indicando baixa capacidade funcional. Quanto ao desempenho das Atividades Básicas da Vida Diária (ABVDs) e Instrumentais (AIVDs) 70,45% apresentaram algum grau de incapacidade no desempenho dessas atividades e 29,55% mostraram melhor desempenho para execução dessas tarefas. Conclusão: A capacidade funcional no que diz respeito a realização das ABVDs e AIVDs, quanto mais elevado o nível de demência, pior é o desempenho dos idosos nestas atividades. O declínio cognitivo é um dos principais determinantes da presença e progressão de incapacidade em pacientes com demência.

Veja o artigo completo: PDF