Resumo Trabalho

ASSOCIAÇÃO ENTRE FRAGILIDADE E CAPACIDADE FUNCIONAL EM IDOSOS USUÁRIOS DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA

ADILA DE QUEIROZ NEVES, JULIANA FERNANDES CABRAL e orientado por AGEO MÁRIO CÂNDIDO DA SILVA e orientado por AGEO MÁRIO CÂNDIDO DA SILVA

Introdução: O envelhecimento da população mundial é uma realidade, principalmente nos países em desenvolvimento. A fragilidade é apontada como um importante indicador da condição de saúde nos idosos, sendo que sua definição operacional neste trabalho teve uma abordagem multidimensional. Objetivo: Analisar a associação entre fragilidade e capacidade funcional em idosos usuários da Estratégia Saúde da Família do município de Várzea Grande – MT. Métodos: Estudo epidemiológico de corte transversal, com 377 indivíduos de 60 anos ou mais, residentes em Várzea Grande – MT, no período de março a junho de 2016. O instrumento para coleta de dados contemplou questões sobre identificação do idoso e variáveis sociodemográficas, além de instrumentos validados que avaliaram fragilidade e capacidade funcional. A fragilidade foi investigada através do Tilburg Frailty Indicator (TFI), e atividades básicas de vida diária (AVD) e instrumentais de vida diária (AIVD) através das Escala de Katz e Lawton, respectivamente. Foram elegíveis para este estudo todos os indivíduos de 60 anos ou mais, tendo como critério de inclusão ser residente permanente no domicílio; foram excluídos indivíduos que apresentavam déficit cognitivo, condições como demência, distúrbios psiquiátricos, deficiência mental, sequela de AVC com comprometimento da linguagem, cegueira e surdez. Os idosos foram entrevistados, respeitando sua proporcionalidade populacional entre as Estratégias de Saúde da Família do município de Várzea Grande, sendo 43 (Água Vermelha); 36 (Capão Grande); 52 (Jardim Glória 1); 18 (Jardim União); 27 (Manaira); 29 (Manga); 93 (São Matheus); 55 (Unipark) e 24 (Vila Arthur). Resultados: A maioria dos indivíduos era do sexo feminino (60,21%), cor da pele autorreferida parda (58,89%); vivia com companheiro (casado ou união estável) (56,24%) e alfabetizada (71,62%). Na análise bivariada a variável capacidade funcional apresentou associação à fragilidade, sendo dependência para as atividades básicas de vida diária (RP = 1,35 IC95% 1,18-1,55) e dependência nas atividades instrumentais de vida diária (RP = 1,83 IC95% 1,49-2,24). Conclusão: O presente estudo ressalta a importância no conhecimento sobre fragilidade e seus fatores associados a fim de estimular ações preventivas para minimizar desfechos adversos na população idosa, como hospitalização, quedas, fraturas e morte.

Veja o artigo completo: PDF