Resumo Trabalho

REPRODUTIBILIDADE DO SINAL DE ACELERAÇÃO DA MARCHA DO SENSOR EMBUTIDO NO DELSYS TRIGNO WIRLESS DE UM ADULTO E DE UM IDOSO

ANA CAROLINA PASSOS DE OLIVEIRA, JERUSA P R LARA, JOHN JAIRO VILLAREJO MAYOR, SUSANA OTÍLIA VILAS BÔAS FAVARO e orientado por ANDRÉ LUIZ FELIZ RODACKI e orientado por ANDRÉ LUIZ FELIZ RODACKI

O processo de envelhecimento leva ao declínio de diversos sistemas, tais declínios podem influenciam diretamente nos padrões de marcha. Levando assim a maior predisposição as quedas. Desta forma é de fundamental importância a busca de métodos de avaliação da marcha para detecção das possíveis modificações do padrão e para proposição de intervenções de reabilitação e/ou prevenção. Atualmente são utilizadas diversas metodologias que possibilitam a análise da marcha, entretanto grande parte destas necessita de um alto investimento e restringem suas análises ao ambiente laboratorial. Uma alternativa é o uso de sensores de acelerômetro, que permitem a avaliação de características espaço temporais da marcha em ambientes da vida cotidiana e tem menor custo em relação à outras metodologias. Entretanto, apesar dos sensores de acelerômetros serem consistentes para avaliação de padrões de movimento, é de suma importância testar a reprodutibilidade do sinal adquirido, a fim de garantir que os resultados obtidos sejam provenientes das características do ciclo da marcha e não de possíveis erros do sinal. Assim, este trabalho teve como objetivo avaliar a reprodutibilidade do sinal de aceleração durante a marcha utilizando o acelerômetro embutido no sensor Trigno Wireless System Delsys. Para tanto foi avaliado um sujeito idoso (75 anos, 1,65 m e 65 kg do sexo masculino) e um sujeito adulto saudável (37 anos, 1,70 m e 80 kg do sexo feminino), ambos saudáveis. Para coleta dos foram utilizados dois acelerômetros triaxiais embutidos no sensor Delsys Trignoᵀᴹ Wireless SystemI, fixados no maléolo lateral de ambos os membros. Foi realizada uma etapa de adaptação ao ambiente, na qual o indivíduo caminhou em velocidade habitual, posteriormente os sujeitos realizaram 100 ciclos de marcha iniciados com o membro direito e 100 ciclos de marcha iniciadas com o membro esquerdo em velocidade auto selecionada. A reprodutibilidade do sinal de aceleração foi testada nos eixos: progressão, médio lateral e vertical, para tanto foi verificado o coeficiente de correlação intraclasse (ICC), para tanto utilizou-se o software estatística SPSS 18.0. Os dados do coeficiente de correlação intraclasse demonstraram reprodutibilidade excelente nos eixos de movimento analisados, durante os ciclos de marcha de ambos os sujeitos. Desta forma, a utilização do sensor em questão, fornece dados quantitativos capazes de fornecer avaliação consistente da marcha em indivíduos adultos e idosos.

Veja o artigo completo: PDF