Resumo Trabalho

RELAÇÕES ENTRE A DOENÇA DE ALZHEIMER E O ENVELHECIMENTO HUMANO: O QUE SUGEREM AS PESQUISAS

RAQUEL DE JESUS ROCHA DA SILVA , VALÉRIA ALVES DA SILVA, NUBIA MARIA FIGUEIREDO DANTAS, PAULO RICARDO CORDEIRO DE SOUSA e orientado por SOFIA DIONIZIO SANTOS e orientado por SOFIA DIONIZIO SANTOS

A doença de Alzheimer (DA) é uma doença degenerativa, que acomete o sistema nervoso central principalmente de pacientes acima dos 65 anos de idade, interferindo de maneira direta nos aspectos biológicos, psicológicos e sociais da vida desses indivíduos. O presente trabalho possui, como principal objetivo, a análise de pesquisas já publicadas acerca do assunto, relacionando a doença de Alzheimer ao envelhecimento humano e seus impactos na vida de pacientes e cuidadores. Utilizou-se como metodologia a revisão sistemática, selecionando os estudos para análise. A partir dos trabalhos encontrados, observou-se que a DA é o tipo de demência mais comum entre idosos, mais prevalente em pessoas do sexo feminino e em pessoas de baixa escolaridade. Além disso, a DA dificulta a prática de atividade física pelos idosos, tornando-se um problema, já que essas atividades poderiam diminuir a necessidade de medicações, servindo de alternativa a determinados tratamentos farmacológicos. Outro fato destacado nestes trabalhos é a influência da doença sobre o estado psicológico dos pacientes, interferindo de maneira direta nos relacionamentos com a família e cuidadores, o que é evidenciado, também, durante o contínuo e desgastante trabalho dos cuidadores para que o idoso não se exponha a situações de perigo. As informações encontradas determinam que ainda não existe cura para a doença de Alzheimer, mas existem tratamentos farmacológicos e associados à realização de atividade física, atividades lúdicas e estimulação das funções psíquicas, especialmente a memória, que podem ter impacto positivo na qualidade de vida desses pacientes e seus cuidadores.

Veja o artigo completo: PDF