Resumo Trabalho

RISCOS DE QUEDAS EM UMA IDOSA COM DEFICIÊNCIA VISUAL: OBSERVAÇÃO A PARTIR DA ANÁLISE ERGONÔMICA.

EDIENE NASCIMENTO DE ARAUJO e orientado por JULIANA NUNES ABATH CANANÉA e orientado por JULIANA NUNES ABATH CANANÉA

Introduçao:O envelhecimento é um processo natural, que ocorre ao longo de toda a experiência de vida. A queda trata-se de é um deslocamento não intencional, ocorrendo uma mudança de posição para um nível inferior a posição inicial, ficando o indivíduo com incapacidade de correção no tempo hábil e pode estar associada a um déficit dos sistemas neurais e osteoarticulares. As quedas representam um sério problema para as pessoas idosas e estão associadas a elevados índices de morbi-mortalidade, redução da capacidade funcional e institucionalização precoce. É necessário, para um bom envelhecimento, uma boa alimentação, práticas de atividades físicas, acompanhamento com profissionais da saúde, uma boa interação entre os sistemas corporais para que assim diminua os riscos de quedas, já que no ato de envelhecer ocorre a perda das reações básicas de proteção. Este trabalho teve o intuito de analisar o ambiente no qual a idosa vive, com um olhar ergonômico no local, levando em consideração sua perda parcial da visão sendo este um fator que pode favorecer a casos de quedas.Metodologia:A presente pesquisa constitui-se de uma pesquisa de campo, com abordagem qualitativa e quantitativa. A amostra da pesquisa foi escolhida por conveniência. O exposto estudo ocorreu no Município de João Pessoa-PB, no Bairro Valentina de Figueiredo, no dia 19/07/2017. Foi utilizado como instrumentos da pesquisa o MEEM (Mini Exame do Estado Mental) que avalia o estado cognitivo do indivíduo, e para o score é considerado o nível de escolaridade; a TINETTI (Escala da Avaliação do Equilíbrio e Marcha) é utilizado para avaliar o equilíbrio e as anormalidades da marcha; a EGD (Escala de Depressão Geriátrica) ajuda no rastreamento de quadros depressivos; KATZ (Índice de Independência em AVD) onde analisa o nível de funcionalidade do sujeito em relação aos agravos que interferem na sua performance diante das atividades do cotidiano. Ao se tratar de uma pesquisa com seres humanos, o estudo irá seguir a diretriz e normas contidas na Resolução 466/12 do Conselho Nacional de Saúde, e foi elaborado um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE) em que foram explicadas para a colaboradora as informações e objetivos contidos e a não obrigatoriedade da participação da mesma na pesquisa. Resultados e discussão: Neste estudo, foram utilizados quatro instrumentos para avaliar os riscos de quedas, em relação ao ambiente que a idosa vive e o quanto a sua perda de visão interferia ao realizar suas atividades de vida diária.Conclusão: Conclui-se que existem vários fatores de riscos que favorecem aos idosos episódios de quedas, como a idade avançada, o comprometimento visual, algumas patologias relacionadas, assim como também os fatores extrínsecos. E é de extrema importância orientar também o cuidador, já que este está presente no dia a dia do idoso e, assim se conscientizam e percebem de fato que vários aspectos da residência podem conduzir a quedas, mas que podem ser modificados para uma melhor assistência de cuidado.

Veja o artigo completo: PDF