Resumo Trabalho

EFEITO DO TREINAMENTO DE COMPONENTES MÚLTIPLOS SOBRE A CAPACIDADE FUNCIONAL E PERCEPÇÃO SUBJETIVA DE ESFORÇO DE IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS

ANA CAROLINA PASSOS DE OLIVEIRA e orientado por PAULA BORN LOPES, GLEBER PEREIRA e orientado por PAULA BORN LOPES, GLEBER PEREIRA

O envelhecimento é um processo multifatorial que leva a deterioração de diversos sistemas podendo conduzir a redução da aptidão física. Neste sentido destaca-se a importância da prática de atividade física regular através de exercícios de componentes múltiplos, que se utiliza de duas ou mais valências, obtendo ganhos na funcionalidade para idosos saudáveis e/ou frágeis. A funcionalidade pode ser avaliada indiretamente de várias maneiras, dentre elas a escala de percepção subjetiva de esforço (PSE), que considera fatores fisiológicos e psicológicos envolvidos no processo de fadiga durante a atividade física. Assim, este estudo teve como objetivo teve como objetivo avaliar os efeitos de um treinamento de componentes múltiplos sobre a funcionalidade e a percepção subjetiva de esforço de idosos institucionalizados. Os participantes foram divididos em grupo controle (GC) (n=12; 72±9 anos) e grupo treinamento (GT) (n=13; 69±7 anos). A dependência funcional foi avaliada nas atividades básicas (Índice Katz) e instrumentais (Escala de Broady e Lawton) da vida diária. Para avaliação da funcionalidade foram realizados os testes Timed Up and Go (TUG), teste de flexão de cotovelo de 30s., teste de sentar e levantar 5 vezes. A PSE (Borg 6-20) foi reportada ao final de dois testes de 1 minuto realizados com cargas constantes: flexão de cotovelos segurando 2 ou 3 kg em uma das mãos (60 bpm) e sentar e levantar da cadeira (25 bpm), sendo coletada em duas etapas: antes e depois do período de treinamento. O GC foi submetido a treinamento quinzenal que consistiu em exercícios cognitivos e de flexibilidade, já o GT foi submetido a treinamento multicomponente duas vezes por semana durante 13 semanas. Foi realizado o teste estatístico ANOVA modelos mistos tendo como fatores grupo (experimental e controle) e instante (antes e depois). O grupo alterações significativas na força de membros superiores entre os instantes pré e após treino no grupo GT e no teste de potência de membros inferiores entre o grupo GT e GC. Apenas para o GT, a PSE para testes de membros inferiores diminuiu do período antes (13) para o depois (12) e tamanho do efeito moderado (d= 0,78). A PSE para membros superiores não apresentou diferença estatisticamente significativa entres os instantes em ambos os grupos. Portanto, o treinamento multicomponente é capaz de modificar fatores que influenciam a funcionalidade, ainda a PSE reportada no teste submáximo com carga constante de sentar e levantar apresentou sensibilidade para detectar alterações na funcionalidade de idosos institucionalizados.

Veja o artigo completo: PDF