Resumo Trabalho

DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRÔNICA EM IDOSOS: PERFIL EPIDEMIOLÓGICO BRASILEIRO ENTRE 2012 E 2016

LETÍCIA PINHEIRO DE MELO, ALEX DE NOVAIS BATISTA e orientado por JOSÉ FERREIRA DE LIMA JÚNIOR e orientado por JOSÉ FERREIRA DE LIMA JÚNIOR

O envelhecimento é uma fase de mudanças psicológicas, biológicas e funcionais, que muitas vezes são influenciadas por doenças crônicas as quais os idosos estão mais suscetíveis, como a Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC). Esta condição de caráter obstrutivo e inflamatório das vias aéreas, é considerada a quinta causa de morte no mundo e afeta aproximadamente 10% da população mundial. Essa pesquisa é epidemiológica descritiva retrospectiva, com dados obtidos por meio de consulta à base de dados do Sistema de Internações Hospitalares (SIH/SUS), disponibilizados pelo Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS). A população de estudo foi composta pelos dados de notificações do CID-10 referente a DPOC, com idade entre 60 e 80 anos ou mais, no Brasil entre 2012 e 2016. Observou-se que quanto às internações, as regiões com mais notificações foram Sul e Sudeste. Em relação aos óbitos, a região mais acometida foi o Sudeste, estando o Sul em segundo lugar. A maior taxa de mortalidade registrada foi do Sudeste, com 11,16%. No período analisado essa taxa, à nível nacional, foi de aproximadamente 2,5%. Esses resultados foram correlacionados com possíveis causas e comparados entre as regiões para a discussão desses achados. Esse artigo reforça a importância de compreender o acometimento da população idosa no Brasil por DPOC, que chama atenção devido aos seus números de internações e índices de mortalidade preocupantes. Além de permitir uma visão ampla da situação de saúde nesse quesito e fomentar discussões sobre estratégias de saúde direcionadas ao processo de envelhecimento.

Veja o artigo completo: PDF