Resumo Trabalho

PREOCUPAÇÃO EM RELAÇÃO À QUEDA EM IDOSOS PARTICIPANTES DE UM PROGRAMA DE PREVENÇÃO NO MUNICÍPIO DE MACEIÓ

CATARINA MARIA LEITE DE ABREU, BRENDA KAROLYNE DOS SANTOS SOUZA, VINÍCIUS RAMON DA SILVA SANTOS, MEIRY LANNUZE SANTOS SILVA e orientado por FELIPE LIMA REBÊLO e orientado por FELIPE LIMA REBÊLO

O envelhecimento pode ser definido como um processo fisiológico onde há diminuição progressiva da capacidade funcional. Dentre as principais alterações inerentes a esse processo, destacam-se as quedas. Avaliar o medo de cair em um grupo de idosos participantes de um programa de prevenção de quedas na cidade de Maceió, AL. Trata-se de um estudo transversal, realizado com os dados dos participantes do ambulatório de prevenção do risco de quedas em idosos da Santa Casa de Maceió. Para este estudo foram analisados os dados referentes ao medo de cair, através da escala Falls Efficacy Scale Internacional – Brasil, FES-I. Para elucidar a influência das diversas variáveis socioeconômicas sobre os escores do teste FES-I realizou-se uma regressão linear multivariada. A amostra desse estudo foi composta por 51 indivíduos, onde identificou-se predominância do gênero feminino. A média de idade encontrada foi de 69,8 anos (dp=± 9,32). As atividades que representaram maior medo foram: limpar a casa, subir e descer escada, andar sobre superfície escorregadia, caminhar sobre superfície irregular, subir e descer ladeiras. Modelo multivariado que melhor explica a variação em FES-I foi boa percepção de saúde, escolaridade e repercussão funcional. As atividades que representaram maior medo em relação a queda foram as relacionadas a ambientes que requerem maior controle de equilíbrio para o desempenho das mesmas. A escolaridade a boa percepção de saúde mostraram-se como fatores protetores para o medo de queda ter repercussão funcional como fator de risco.

Veja o artigo completo: PDF