Resumo Trabalho

A IMPORTÂNCIA DAS PRÁTICAS EM CENTROS DE CONVIVÊNCIA PARA IDOSOS NA FORMAÇÃO DO PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM: RELATO DE EXPERIÊNCIA

ANA PATRÍCIA DA SILVA ALVES, RISLAYNE GOMES FERREIRA e orientado por ROSANA ALVES DE MELO e orientado por ROSANA ALVES DE MELO

Introdução: Em virtude do crescimento na proporção de idosos, que será gradativo nos próximos anos, o Brasil exibe a necessidade imprescindível de promover o enfrentamento dos desafios que o envelhecimento impõe. Neste sentido, surgem os Centros de Convivência como ambientes que promovem a saúde mental e física dos idosos por meio do envolvimento comunitário, que atua como elemento fundamental na qualidade de vida dessa população. Desse modo, o enfermeiro desponta como agente cooperador na transposição das barreiras impostas por estas mudanças sociodemográficas, através da assistência integral ao idoso, considerando sua atuação um dos elementos essenciais neste processo. Entretanto, para que essas demandas se efetivem, o enfermeiro necessita de conhecimentos específicos acerca do envelhecimento e dos cuidados a serem prestados, tendo em vista as demandas específicas dessa população. O presente trabalho tem por objetivo relatar a importância das práticas desenvolvidas em Centros de Convivências para Idosos na formação do profissional de enfermagem, por meio de experiências adquiridas por graduandos da Universidade de Pernambuco – Campus Petrolina, durante a disciplina Cuidar de Enfermagem em Saúde do Idoso ofertada no ano de 2016. Metodologia: Trata-se de um trabalho descritivo, do tipo relato de experiência, construído com base nas vivências e conhecimentos adquiridos nas práticas desenvolvidas em Centros de Convivências para Idosos, com ênfase na importância deste aprendizado na formação do profissional de enfermagem. Resultados e discussão: Dentre as principais modalidades de atividades desempenhadas nos Centros de Convivências destacam-se as de educação, capaz de promover o empoderamento do idoso acerca do processo do envelhecer e suas peculiaridades. As ações educacionais efetuadas nos campos de prática foram organizadas por meio de subdivisões grupais que ocorreram através do método de sorteio, visando à construção de grupos com quatro ou cinco discentes, orientados durante seu desempenho por uma das docentes ministrantes da disciplina. Foram realizadas atividades educativas com foco nos principais desafios estabelecidos pelo envelhecimento, tendo sido as temáticas elegidas segundo conveniência pelos administradores destes espaços. O grupo em pauta, constituído por quatro discentes, efetuou suas atividades em três Centros de Convivência para Idosos, mediante estrutura de rodízio funcional com as demais equipes. Este grupo elaborou atividades distintas designadas a estes espaços, acerca dos temas Modificações fisiológicas do envelhecimento, Violência contra a pessoa idosa e Planejamento do domicilio na prevenção de quedas, por meio de metodologias lúdicas, visando à compreensão apropriada da temática. Foram utilizados métodos dinâmicos que priorizaram as conversas, interações grupais, estimulações táteis, visuais, gustativas, auditivas e olfativas que consideraram as múltiplas capacidades funcionais e intelectuais dos participantes. Conclusão: As práticas desenvolvidas nos Centros de Convivência para Idosos permitiram ao graduando de enfermagem construir novos conhecimento e consolidá-los por meio das atividades educativas e da aproximação estabelecida entre idoso e discente. Assim, o graduando de enfermagem conclui sua formação dispondo de uma gama de aprendizados necessários para embasar o exercício de sua profissão direcionado à população idosa, que tem crescido gradualmente ao longo dos anos.

Veja o artigo completo: PDF