Resumo Trabalho

CONHECIMENTO DE IDOSAS SOBRE INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS

JACKSON SOARES FERREIRA, MARIA DE FÁTIMA DA SILVA MOREIRA, MARIA APARECIDA DE SOUZA OLIVEIRA, ADRIANA LIRA RUFINO DE LUCENA e orientado por JOSÉLIO SOARES DE OLIVEIRA FILHO

O CONHECIMENTO DOS IDOSOS ACERCA DAS MEDIDAS DE PREVENÇÃO CONTRA AS INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS (IST’S) SE FAZ NECESSÁRIO EM VIRTUDE DA BUSCA PELA QUALIDADE DE VIDA NO TOCANTE A SEXUALIDADE, ENTRE O PÚBLICO DA TERCEIRA IDADE. E, SABENDO QUE A POPULAÇÃO IDOSA ENCONTRA-SE CADA VEZ MAIS ATIVA E PROCURANDO OBTER UMA VIDA SEXUAL PRAZEROSA E SAUDÁVEL, AS PRÁTICAS DE CONSCIENTIZAÇÃO ACERCA DAS IST’S E COMO COMBATÊ-LAS SÃO FUNDAMENTAIS NESSE CONTEXTO. O MÉTODO DE PESQUISA APLICADO FOI DE CARÁTER QUANTITATIVO E DESCRITIVO. OS DADOS APRESENTARAM QUE 81,3% DAS IDOSAS PARTICIPANTES DA PESQUISA NÃO POSSUEM VIDA SEXUAL ATIVA. VERIFICOU-SE QUE 78,1% INFORMARAM SABER DO QUE SE TRATA IST/DST E 21,9% AFIRMARAM NÃO OBTER ESSE CONHECIMENTO. JÁ EM RELAÇÃO AOS SINTOMAS PROVENIENTES DE IST’S NÃO DEMONSTRARAM PRESENTES DE MODO ACENTUADO NAS IDOSAS PESQUISADAS. CONSTATOU-SE QUE APESAR DE UM SIGNIFICATIVO PERCENTUAL DAS IDOSAS INFORMAREM CONHECER AS IST/DST, 78,1% AFIRMARAM NÃO FAZER USO DE PRESERVATIVO NA RELAÇÃO SEXUAL, APESAR DE DESTACARAM SER NECESSÁRIO O USO DO MESMO. DESSE MODO, DEVE-SE INCENTIVAR A UTILIZAÇÃO DE PRESERVATIVOS NO QUE SE REFERE A ESSE PÚBLICO, TENDO EM VISTA QUE AS PARTICIPANTES DA PESQUISA DEMONSTRARAM SABER DO QUE SE TRATA AS IST/DST, MAS NÃO MENCIONARAM FAZER USO DE PRESERVATIVO.

Veja o artigo completo: PDF