Resumo Trabalho

FRATURAS EM IDOSOS: DO RISCO À PREVENÇÃO

JOSEANE BARBOSA FREIRE DA SILVA, ANA CAROLINE ALVES LIMA DA SILVA, VAGNA CRISTINA LEITE DA SILVA PEREIRA, ADRIANA LIRA RUFINO DE LUCENA e orientado por DÉBORA RAQUEL SOARES GUEDES TRIGUEIRO

AS QUEDAS, E CONSEQUENTEMENTE AS FRATURAS, APRESENTAM-SE COMO UM GRAVE PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA. INVESTIGAR FATORES DE RISCO ASSOCIADOS A ESSES EVENTOS EVITAM COMPLICAÇÕES NA VIDA DOS IDOSOS E PRESERVAM A SUA CAPACIDADE FUNCIONAL. ESTE ESTUDO TEM COMO OBJETIVO AVALIAR AS AÇÕES PREVENTIVAS DE FRATURAS EM IDOSOS NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE. TRATA-SE DE UM ESTUDO DESCRITIVO, AVALIATIVO, COM ABORDAGEM QUANTITATIVA REALIZADA EM UM HOSPITAL DE REFERÊNCIA EM ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA, EM JOÃO PESSOA-PB. A AMOSTRA FOI COMPOSTA POR 25 PACIENTES IDOSOS HOSPITALIZADOS. COMO RECURSO PARA COLETA DE DADOS, EMPREGOU-SE A APLICAÇÃO DE UM FORMULÁRIO, CONTENDO QUESTÕES ABORDANDO O PERFIL SOCIODEMOGRÁFICO, CONHECIMENTO E FATORES DE RISCO PARA QUEDAS E AÇÕES DISPENSADAS PELO SERVIÇO DE SAÚDE VOLTADOS À PREVENÇÃO. A PESQUISA OBEDECEU ÀS NORMAS DAS RESOLUÇÕES 466/2012 COM APROVAÇÃO DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA DA FACENE. DOS INVESTIGADOS, 100% RELATARAM TER SOFRIDO FRATURAS, 52% DECLARARAM NÃO TER NENHUM CONHECIMENTO DOS FATORES DE RISCO QUE CONTRIBUEM PARA OCORRÊNCIA DESSE EVENTO, 80% RELATARAM NÃO TER RECEBIDO NENHUM TIPO DE ORIENTAÇÃO, NO QUE DIZ RESPEITO AOS RISCOS DE QUEDA, POR PARTE DOS PROFISSIONAIS DA ATENÇÃO BÁSICA. O DÉFICIT DE CONHECIMENTO SOBRE A TEMÁTICA ABORDADA NESTE ESTUDO, ACRESCIDO DO BAIXO NÍVEL DE PERCEPÇÃO, COMPÕEM FATORES PREDITIVOS PARA PERDA DA AUTONOMIA.

Veja o artigo completo: PDF