Resumo Trabalho

ANÁLISE DA TAXA DE MORTALIDADE EM IDOSOS COM DIABETES MELLITUS EM ALAGOAS: O RECORTE DE: 2011 Á 2015

MÁRCIA DANIELA GOMES DE MELO, MAYRA SOCORRO DE OLIVEIRA SILVA e orientado por MARIA CLARA BRASILEIRO BARROSO e orientado por MARIA CLARA BRASILEIRO BARROSO

INTRODUÇÃO: O Diabetes Mellitus é uma doença crônica que vem afetando cada vez mais os idosos, com elevados níveis de mortalidade, também sendo responsável por várias complicações, por exemplo: cardiovasculares, encefálicas, coronarianas, entre outras. Considerando esses fatos, vale salientar a importância de se estudar a saúde dos idosos nos últimos anos e a influência do Diabetes Mellitus. Nesse contexto, percebe-se que ainda há muitas mortes derivadas da doença, sendo necessário que haja mais possibilidades e intervenções para reverter os agravos à saúde que a diabetes traz para esse público. Com base nisso, temos como objetivo, analisar a taxa de mortalidade em idosos com Diabetes Mellitus registrados por ocorrência em alagoas, no período de 2011 á 2015 em Alagoas. METODOLOGIA: Logo, a construção desse trabalho, foi através de uma análise da taxa de mortalidade por Diabetes Mellitus por ocorrência de idosos com faixa etária de 60 a 80 anos ou mais no período de 2011 a 2015, em Alagoas, com dados do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS). RESULTADOS/DISCUSSÕES: A partir da análise dos dados disponíveis no DATASUS, foi observado que ainda é grande quantidade de mortes de idosos por Diabetes Mellitus por ocorrência, em ambos os sexos, e que durante o estudo foi possível analisar que mulheres, em todos os anos mostraram-se em números maior em mortalidade. CONCLUSÃO: A realização desse estudo possibilitou identificar o resultado de cada ano analisado, por sexo e idade, o quanto a doença Diabetes Mellitus tem trazendo agravos na população alagoana, visto que a cada ano, por essa doença morreram mais mulheres, comparado ao dos homens, e que Maceió é o município que está em primeiro lugar com o destaque de mortes, podendo suspeitar de a razão ser por sua população maior, mas vale salientar o fato do indivíduo não está ciente que possui a doença, e não entende suas implicações o que possibilita esta realidade.

Veja o artigo completo: PDF