Resumo Trabalho

O USO DE APARELHOS AUDITIVOS NA MELHORA DA AUDIÇÃO, DESEMPENHO COGNITIVO E PROCESSOS DEMENCIAIS EM INDIVÍDUOS IDOSOS: REVISÃO SISTEMÁTICA.

CAMILA DAYANE FERREIRA DA SILVA e orientado por POLIANA CARLA SANTOS MARANHÃO e orientado por POLIANA CARLA SANTOS MARANHÃO

INTRODUÇÃO: O envelhecimento populacional é um processo observado em caráter mundial já abrangendo também países em desenvolvimento como o Brasil. Com o aumento da longevidade da população a perda auditiva relacionada ao envelhecimento e o desenvolvimento das demências tornaram-se questões de prioridade para a saúde pública e preocupam pelos custos e consequências sociais que acarretam, enfatizando a necessidade de se diagnosticar, prevenir e tratar causas de comprometimento cognitivo prevalentes no envelhecimento. A fim de minimizar essa dificuldade auditiva, o idoso tem como recurso a utilização do aparelho de amplificação sonora individual (AASI). Desta forma, a melhora destes processos em idosos após o uso do AASI é um tema que deve ser investigado por ter aplicabilidade direta na reabilitação de tal população. OBJETIVO: Verificar, por meio de uma revisão sistemática, a ocorrência de melhora da perda auditiva, desempenho cognitivo e demência em idosos após o uso de aparelhos auditivos. METODOLOGIA: Foi realizado levantamento bibliográfico de publicações nas bases de dados: Portal Capes, PubMed, SciELO e LILACS. Foram utilizados os seguintes descritores de forma individual e combinada: hearing aids, hearing loss, cognition e elderly. Os critérios de inclusão foram: participantes a partir de 60 anos; intervenção realizada com AASI; desfechos mensurados através da identificação da mudança de desempenho na função cognitiva e processo demencial; publicados entre 2007 a 2017, em português e inglês. A análise de relevância para a seleção final incluiu a fase de título, fase de abstract e leitura na íntegra dos estudos. RESULTADOS E DISCUSSÃO: Foram encontrados 290 artigos, deste total, após checagem dos critérios de elegibilidade, foram selecionados apenas 6 estudos para análise final. A literatura evidencia que o comprometimento cognitivo e a perda auditiva podem interferir na socialização e na qualidade de vida dos idosos, uma vez que são processos interdependentes que se relacionam de maneira complexa. Entretanto, os resultados encontrados mostraram-se divergentes quanto à melhora cognitiva após o processo de adaptação de aparelhos auditivos em alguns estudos. O isolamento social é descrito como sendo decorrente dos prejuízos comunicativos e da redução na capacidade de participar em atividades sociais causados pela perda auditiva e já relacionados ao declínio cognitivo. Além disso, o risco para o desenvolvimento de demência aumenta conforme a magnitude da perda auditiva, uma vez que perdas maiores significam piora na qualidade e quantidade do input auditivo que chega ao cérebro. Considerando o envelhecimento um processo gradativo, este estudo permitiu encontrar trabalhos que nos possibilitam considerar que a adaptação de AASI na população idosa propiciou melhora em medidas globais cognitivas, além dos familiares relatarem melhora na atenção, reversão do isolamento social e da dificuldade comunicativa e emocional, contribuindo, portanto, na melhora na qualidade de vida. CONCLUSÃO: Embora os resultados sobre a melhora cognitiva após o uso de AASI em idosos ainda sejam controversos, evidencia-se a necessidade de novas pesquisas na área, bem como a compreensão dos mecanismos envolvidos no processo de adaptação, uma vez que a reabilitação auditiva é uma estratégia que pode ser utilizada para retardar e prevenir tais aspectos.

Veja o artigo completo: PDF