Resumo Trabalho

PERCEPÇÃO DO(A) ENFERMEIRO(A) QUANTO A SUA ASSISTÊNCIA AO IDOSO COM DEMÊNCIA

MARIA JOYCE TAVARES ALVES, GABRIELLE MANGUEIRA LACERDA, JOYCE DE SOUZA, JOSÉ AUGUSTO DE SOUSA RODRIGUES e orientado por GERLANE CRISTINNE BERTINO VÉRAS e orientado por GERLANE CRISTINNE BERTINO VÉRAS

O(a) enfermeiro(a) da atenção primária precisa estar apto à cuidar do idoso de maneira geral, inclusive nos casos de demências, para isso, ele deve passar por um processo formativo generalista, além de participar de capacitações profissionais para aprimorar suas competências. O estudo teve como objetivo avaliar a percepção do(a) enfermeiro(a) quanto a sua assistência ao idoso com demência. Trata-se de uma pesquisa descritiva com abordagem qualitativa realizada nos meses de agosto e setembro do corrente ano. A população se constituiu por 23 enfermeiros que trabalham na atenção primária do município de Cajazeiras-PB. Teve como amostra 11 enfermeiros que se enquadraram nos critérios de seleção. A coleta foi realizada por meio de entrevista gravada utilizando-se de um questionário semiestruturado composto por questões objetivas e subjetivas. A análise dos dados objetivos foi feita por estatística descritiva e os dados subjetivos foram transcritos e organizados em categorias temáticas por meio da Análise de Conteúdo proposta por Laurence Bardin. Os resultados mostram certa deficiência na qualificação profissional do enfermeiro(a) para assistir ao idoso com demência, um déficit que inicia na academia, onde a temática demência não é vista com a relevância necessária e perdura na vida profissional, quando não é ofertado um suporte com ações de educação permanente e demais capacitações para esses sujeitos, repercutindo em falha no processo assistencial. Pode-se constatar que a ausência de uma boa formação culmina em um profissional com fragilidades na sua atuação, não permitindo que ele organize um plano assistencial adequado às especificidades apesentadas pelo idoso com demência.

Veja o artigo completo: PDF