Resumo Trabalho

A ATUAÇÃO INTERDISCIPLINAR DE UMA RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL NA PROMOÇÃO À SAÚDE DO IDOSO.

MARIANA LOPES FREIRE SOARES, MARIA KAROLINE FERREIRA DOS SANTOS DUARTE e orientado por ELAINE CRISTINA TÔRRES OLIVEIRA e orientado por ELAINE CRISTINA TÔRRES OLIVEIRA

INTRODUÇÃO: O Brasil tem vivenciado um processo de transição demográfica acelerada, com redução do número de crianças e aumento considerável da população idosa. Em virtude desta nova configuração social, ações de saúde voltadas para o público idoso são fundamentais para contribuir com o envelhecimento ativo e saudável. Na perspectiva de oportunizar mecanismos para o bem estar dos idosos, observa-se os grupos comunitários como importantes instrumentos para promoção do envelhecimento ativo. Neste contexto, Residências Multiprofissionais em Saúde surgem como possibilidade de operacionalizar os princípios estabelecidos pelo SUS no cotidiano das práticas dos serviços de saúde, atuando de forma integrada com os profissionais do serviço, inserindo-se enquanto estratégia de Educação Permanente, deve garantir uma formação que seja pautada na atenção integral, a partir do desenvolvimento de um trabalho multiprofissional e interdisciplinar. OBJETIVO: Relatar a atuação interdisciplinar de residentes da Residência Multiprofissional em Saúde da Família em um grupo comunitário de promoção à saúde do idoso. MÉTODOS: Relato da experiência de uma psicóloga e uma nutricionista da Residência Multiprofissional em Saúde da Família da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas junto ao grupo comunitário de idosos Viva Melhor de abril a dezembro de 2016. O grupo era realizado no espaço do Clube Riachuelo, dispositivo do território adstrito pela Unidade de Saúde da Família Hélvio Auto, localizada no bairro do Trapiche, em Maceió-AL, nas segundas e quintas-feiras, das 08h00min as 10h00min. Tinha como objetivo a Promoção à Saúde por meio do desenvolvimento de atividades de Educação em Saúde e práticas corporais. Composto por aproximadamente 25 pessoas, o grupo era constituído majoritariamente por mulheres idosas. RESULTADOS: A partir de registros realizados em livro-ata, observou-se que foram realizados 60 encontros com o grupo comunitário e que a faixa etária dos participantes variava entre 40 e 80 anos. As práticas corporais consistiam em exercícios resistidos, aeróbicos, treinamento em circuito, danças e jogos e eram conduzidas por profissionais distintos, em função dos objetivos da ação. No tocante a interdisciplinaridade, esta ocorria entre os integrantes da equipe de residentes e usuários, não havendo participação dos profissionais da Unidade de Saúde da Família do território. Com relação à educação em saúde, os temas abordados eram sugeridos pelos integrantes do grupo ou pelas próprias residentes mediante observação das necessidades e demandas do grupo. As atividades eram realizadas por meio de metodologias ativas e uso de recursos educativos e a condução da discussão do tema não estava condicionada a categorial profissional. CONCLUSÃO: A experiência aqui apresentada permite analisar de que forma práticas interdisciplinares podem ser desenvolvidas para promoção da saúde do idoso, dentro do desenvolvimento do trabalho multiprofissional no campo da saúde. É possível, também, compreender a importância dos grupos comunitários na mobilização da autonomia das diferentes pessoas, considerando-as como sujeitos sociais, culturais e políticos, valorizando suas histórias e saberes. Além disso, conclui-se que o desenvolvimento de práticas interdisciplinares entre as diferentes equipes que compõem um serviço de saúde é de grande importância, bem como entre elas e os usuários, para que a integralidade do cuidado possa ser efetivada.

Veja o artigo completo: PDF