Resumo Trabalho

AVALIAÇÃO DA PRÁTICA DE EXERCÍCIO FÍSICO, ESTRESSE E PROBLEMAS DE SAÚDE AUTORREFERIDOS POR IDOSOS

DJAINE SILVA DE ARAUJO, ARTHUR ALEXANDRINO, TAINÁ OLIVEIRA DE ARAÚJO, FRANCISCO ALDEMIR DA SILVA FREITAS e orientado por MATHEUS FIGUEIREDO NOGUEIRA

O ENVELHECIMENTO HUMANO PROPORCIONA UM AUMENTO EXPONENCIAL DA POPULAÇÃO IDOSA MUNDIAL E COM ELE VEM À RELEVÂNCIA DE ADOÇÃO DE UM ADEQUADO ESTILO VIDA PARA QUE O ENVELHECIMENTO VENHA COM QUALIDADE E LEVEZA EM SUAS MUDANÇAS IMUTÁVEIS, SUGERINDO A NECESSIDADE DE UM OLHAR MAIS ESPECIALIZADO PARA A PRÁTICA DE EXERCÍCIOS FÍSICOS, O ESTRESSE E OS PROBLEMAS DE SAÚDE EM IDOSOS. AO CONSIDERAR QUE ESSES FATORES TEM RELAÇÃO DIRETA COM O ENVELHECIMENTO, ESTE ESTUDO TEVE COMO OBJETIVO AVALIAR A PRÁTICA DE EXERCÍCIOS FÍSICOS, NÍVEL DE ESTRESSE E PROBLEMAS DE SAÚDE AUTORREFERIDOS POR IDOSOS DO MUNICÍPIO DE CUITÉPB. TRATA-SE DE UMA INVESTIGAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA TRANSVERSAL DE DESENHO QUANTITATIVO, COM A PARTICIPAÇÃO DE 318 IDOSOS VINCULADOS À ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA E ALEATORIAMENTE SORTEADOS. OS DADOS FORAM COLETADOS POR MEIO DE UM QUESTIONÁRIO SOCIODEMOGRÁFICO, ENTRE OS MESES DE DEZEMBRO DE 2018 E FEVEREIRO DE 2019, APÓS A APROVAÇÃO DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ALCIDES CARNEIRO (PARECER N° 3.021.189). OS RESULTADOS EVIDENCIARAM QUE A MAIORIA DOS IDOSOS, 55,0% (N=175) NÃO PRATICAVA NENHUM TIPO DE ATIVIDADE FÍSICA; O NÍVEL DE ESTRESSE AUTORREFERIDO FOI DE (4,15), PODENDO ATINGIR UM NÍVEL SUPERIOR A 7 QUANDO CONSIDERADO O DESVIO-PADRÃO; E A MAIORIA EXPRESSIVA DOS PARTICIPANTES, 79,9% (N=254), REFERIRAM TER ALGUM PROBLEMA DE SAÚDE, SENDO A HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA E A DIABETES MELLITUS AS MAIS RECORRENTES. DESSA FORMA, NOTA-SE QUE O ESTILO DE VIDA POSSUI LIGAÇÃO DIRETA COM A PRÁTICA DE ATIVIDADES FISICAS E O SURGIMENTO E/OU INTENSIFICAÇÃO DO ESTRESSE E DE PROBLEMAS DE SAÚDE.

Veja o artigo completo: PDF