Resumo Trabalho

PRINCIPAIS DOENÇAS QUE AFETAM IDOSOS ENCARCERADOS

POLLYANNA VIANA LIMA, TATIANE DIAS CASIMIRO VALENÇA, ELAINE DOS SANTOS SANTANA, RENATO NOVAES CHAVES e orientado por LUCIANA ARAÚJO DOS REIS e orientado por LUCIANA ARAÚJO DOS REIS

Introdução: O processo de envelhecimento da pessoa encarcerada não ocorre da mesma forma que de um idoso que se encontra em liberdade, pois o ambiente do cárcere é insalubre e afeta vários aspectos da vida do idoso. Essa situação se agrava e se torna ainda mais complexa, quando, além de ser uma pessoa idosa, que se encontra encarcerada, também pode está vivenciando uma situação patológica, gerando maior sofrimento e agravamento da saúde física e mental desse indivíduo. Objetivo: Identificar as doenças mais prevalentes em idosos encarcerados de três unidades prisionais do interior da Bahia. Metodologia: Trata-se de um estudo de caráter exploratório, descritivo, documental, com abordagem quantitativa, que foi realizado com 29 idosos, em três unidades prisionais do interior da Bahia, no período de março a setembro de 2017. Os dados foram obtidos a partir da consulta dos prontuários de saúde, de assistência social e psicologia e de entrevista com os idosos. A análise dos dados foi realizada utilizando-se o pacote estatístico SPSS®, versão 22.0. Resultados: Os idosos são acometidos com inúmeras doenças, com destaque para hipertensão (75,90%); diabetes, câncer, tuberculose, gastrite, doenças cardiovasculares e osteomusculares (20,70%), seguida de problemas visuais e depressão (17,20%). Conclusão: O estudo demonstrou que as doenças apresentadas pelos idosos não são diferentes das encontradas pelos que estão fora deste contexto, com exceção para a tuberculose, porém o quantitativo de doenças concomitantes, bem como as suas complicações são mais intensificadas na prisão.

Veja o artigo completo: PDF