Resumo Trabalho

ANÁLISE DAS AÇÕES EM EDUCAÇÃO EM SAÚDE NO BRASIL EM IDOSOS SOBRE HIV/AIDS: REVISÃO SISTEMÁTICA.

NYCOLAS EMANUEL TAVARES DE LIRA, MAYKON WANDERLEY LEITE ALVES DA SILVA, JOSICLEIDE GOMES DAVI, IANKA LIMA DA SILVA e orientado por JULIANE CABRAL SILVA e orientado por JULIANE CABRAL SILVA

INTRODUÇÃO: Os idosos mantêm a vida sexual ativa, inclusive acima dos 80 anos de idade, o que reforça uma atenção com esmero para essa parte da população, diante das diversas doenças sexualmente transmissíveis, sobretudo pela infecção pelo Vírus da Imunodeficiência adquirida (HIV) que possui uma notória capacidade de afetar o sistema imunológico do hospedeiro provocando a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (HIV). No Brasil, a população idosa é a 10º colocada em incidência de infecções pelo HIV. Diante disso, reveste-se de importância analisar as estratégias de Educação em Saúde voltadas para esse publico. Pois, é somente por intermédio da educação que ocorre mudança de comportamento. OBJETIVO: Investigar, na literatura, estudos que retratem estratégias de educação em saúde sobre HIV na população idosa no Brasil. METODOLOGIA: Trata-se de uma revisão sistemática da literatura de artigos que abordem como temática “Estratégia de Educação em Saúde voltada ao Idoso portador de HIV”. Para a busca dos artigos foram utilizadas as bases de dados: Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), National Library of Medicine, EUA (PubMed), Medical Literature Analysis and Retrieval System on-line (MEDLINE) e Scientific Electronic Library Online (SciELO) e Open Grey. Nesse sentido, foram utilizados os descritores: Old man, older adults, elderly, HIV, SIDA and Health Education. Foram selecionados artigos de pesquisadas realizadas no Brasil no período de 2007 a julho de 2017. RESULTADOS: A partir dos descritores utilizados, foi encontrado um total de 696 artigos. Após a leitura minuciosa dos artigos na íntegra, apenas 02 (dois) artigos da base de dados Lilacs atenderam aos critérios de inclusão deste estudo. DISCUSSÃO: Embora a população idosa portadora do vírus tenha aumentado significativamente no Brasil, foram encontrados apenas dois artigos que abordassem estratégias de intervenção de educação em saúde para esse contingente populacional. Nos dois estudos analisados, a abordagem educativa foi precedida de uma pesquisa, a fim de verificar lacunas sobre o conhecimento do HIV apresentado pelos idosos e, posteriormente, serem criados mecanismos de intervenção. Entre as estratégias empregadas, mencionam-se os recursos educativos, como multimídia, folder individual, cartazes, entrega de preservativos e cartilha educativa. Por fim, os resultados encontrados nesse trabalho evidenciam o despreparo das equipes em saúde em trabalhar a sexualidade na terceira idade e, consequentemente, a suscetibilidade a doenças infectocontagiosas como o HIV/AIDS. CONLUSÃO: Decorrente da baixa quantidade de artigos foi possível identificar que há uma lacuna no que se refere à publicação de estratégias de educação em saúde na população da terceira idade suscetível ao HIV. Dessa forma, não é possível avaliar as ações educativas, bem como a abrangência e eficácia das metodológicas utilizadas.

Veja o artigo completo: PDF