Resumo Trabalho

SEXUALIDADE E AUTOESTIMA EM IDOSOS

CRISTINA RANUZI, TAMIRES GOMES DOS SANTOS, LILIAM ROSANY MEDEIROS FONSECA, BRUNA STEPHANIE SOUSA MALAQUIAS e orientado por LEINER RESENDE RODRIGUES e orientado por LEINER RESENDE RODRIGUES

Quando o indivíduo chega à velhice e se encontra viúvo ou solteiro, a sexualidade é vista muitas vezes com o sentimento de saudosismo, podendo até ser ocultado para evitar críticas sociais gerando um conformismo em relação ao declínio do seu exercício. A sexualidade é uma necessidade básica, interligada aos outros aspectos da vida do ser humano e que transcende o ato sexual. Pode-se caracterizá-la como multidimensional, a qual sofre influência de fatores anatômicos, fisiológicos, psicossociais e culturais, sendo reconhecida atualmente como um dos pilares da qualidade de vida. Destaca-se que a sociedade contribuiu ao longo dos anos para a desvalorização da sexualidade entre idosos, considerando algo vergonhoso para esse grupo etário. Entende-se a autoestima como o sentimento, o apreço e a consideração que uma pessoa sente por si própria, se encontra associada aos aspectos avaliativos que o sujeito elabora a seu respeito, baseando nas suas capacidades e desempenho. Deste modo, infere-se que a autoestima pode apresentar relação com a sexualidade dos idosos. Os objetivos desta pesquisa são: descrever as características sociodemográficas de idosos segundo as variáveis: faixa etária, estado conjugal, escolaridade, renda individual, arranjo de moradia; descrever o conhecimento e atitudes dos idosos relativas à sexualidade e sua autoestima; correlacionar a autoestima com o conhecimento e atitude frente a sexualidade. Metodologia: Estudo transversal composto por 92 idosos adscritos a uma equipe de Estratégia de Saúde da Família do Munícipio de Uberaba. Procedeu-se entrevista com utilização dos instrumentos: Older Americans Resources and Services (OARS), Mini Exame do Estado Mental (MEEM), Aging sexual knowledge and attitudes scale (ASKAS) e Escala de Rosenberg. Foram realizadas análise estatística descritiva e correlação de Pearson (p<0,05). Resultados: Predomínio do sexo feminino (55,4%); idade média foi de 68,7 anos; 53,3% moravam com esposo ou companheiro; 45,7% não tinham escolaridade; 87% recebiam um salário mínimo; 43,5% morava com filhos com ou sem o cônjuge. Em relação a sexualidade, a média obtido foi 30,4 considerado um alto conhecimento. Acerca da atitude foi 29,8 (DV= 5,39), considerada uma atitude liberal. Em relação à autoestima obteve-se a média de escore de 10,7 (DV=2,95) indicando que essa população apresenta uma autoestima positiva. Não houve correlação da autoestima com o conhecimento (r=0,186; p=0,076) e a atitude (r=-0,096; p=0,361) em relação à sexualidade. Discussão: Apesar de as limitações enfrentadas nesta etapa da vida, idosos transparecem que o desejo sexual, o afeto e a própria vivência da sexualidade perpetuam-se por toda a vida.

Veja o artigo completo: PDF