Resumo Trabalho

ANÁLISE DO CONCEITO MORTE DIGNA DA PESSOA IDOSA

RAFAELLA GUILHERME GONÇALVES, LUCAS BATISTA FERREIRA, RENATA CLEMENTE DOS SANTOS, REJANE MARIA PAIVA DEMENEZES e orientado por ALLYNE FORTES VITOR e orientado por ALLYNE FORTES VITOR

Introdução: Na sociedade atual, verifica-se que os processos de transição demográfica e epidemiológica, associam-se ao aumento do número de pessoas idosas e das doenças crônicas, progressivas, degenerativas e causadoras de mortes sofrida, desconfortável e indigna. Com isso, surge a necessidade na adoção de cuidados para proporcionar a melhor qualidade de vida possível pela paliação do sofrimento, com foco na pessoa idosa e não mais na doença. Nota-se nos últimos anos um pequeno avanço através da literatura sobre a morte digna e temas afins como ortotanásia, distanásia, cuidados paliativos, porém não se verifica com facilidade, estudos sobre a conceptualização da morte digna da pessoa idosa. Objetivo: analisar o conceito morte digna da pessoa idosa, segundo o modelo de Walker e Avant. Metodologia: análise de conceito conforme o referencial teórico-metodológico de Walker e Avant, com cumprimento das seguintes etapas: seleção do conceito; determinação da finalidade de análise; identificação dos possíveis usos do conceito; determinação dos atributos; identificação dos antecedentes e consequentes. Para o cumprimento das etapas de identificação dos possíveis usos do conceito, determinação dos atributos; identificação dos antecedentes e consequentes. , utilizou-se o método da revisão integrativa. Resultados: 36 artigos científicos responderam à questão norteadora e atenderam aos critérios de inclusão. Principais atributos da morte digna da pessoa idosa: morte sem dor, sem sofrimento ou outros sintomas angustiantes, cuidados paliativos, qualidade de vida, cuidado holístico, respeito às decisões do paciente; antecedentes: comunicação clara com o paciente e familiar, manejo da dor e outros sintomas que causam desconforto, não realizar distanásia, trabalho em equipe interdisciplinar, realizar a ortotanásia, diretriz antecipada; e consequentes: alívio ou minimização do sofrimento, autonomia preservada, reforço do senso de dignidade, família satisfeita, paz ao morrer, necessidade de suporte e preparo profissional. Conclusão: O conceito morte digna da pessoa idosa ainda não apresenta uma definição clara, porém apresenta um avanço na literatura, em especial a internacional. Consiste em um fenômeno carregado de valores de ordem física, espiritual, social, familiar, cultural e ética.

Veja o artigo completo: PDF