Resumo Trabalho

POLÍTICA NACIONAL DE PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES E A RELAÇÃO COM A PROMOÇÃO DO ENVELHECIMENTO SAUDÁVEL

ISADORA ROBERTA FONSÊCA ALVES, ANNA BEATRYZ LIRA DA SILVA, CLARICE NASCIMENTO DA SILVA, PEDRO TIAGO CAMPOS MOTA NUNES e orientado por MARCELO COSTA FERNANDES e orientado por MARCELO COSTA FERNANDES

A Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares tem como principal objetivo a prevenção de agravos, a promoção e restauração da saúde com base no cuidado humanizado e continuado. O envelhecimento saudável e ativo é o processo de aperfeiçoamento das oportunidades de saúde, participação e segurança do idoso. Trata-se de um estudo reflexivo realizado através de análise documentos ministeriais e artigos científicos durante o período de agosto e setembro de 2017, sobre a utilização de práticas integrativas e complementares visando a promoção do envelhecimento saudável, com base nessa política. Sabe-se que o processo de envelhecimento pode vir acompanhado de diversos fatores que afetam os aspectos biológicos, psicológicos, como também os aspectos sociais do indivíduo. Sendo assim, faz-se necessário a utilização de estratégias que promovam melhoria na qualidade de vida da pessoa idosa, podendo chegar até a uma redução da utilização de medicamentos por partes dos idosos, através das práticas integrativas e complementares como homeopatia, utilização de plantas medicinais, acupuntura, fitoterapia, crenoterapia, entre outros.

Veja o artigo completo: PDF