Resumo Trabalho

PERCEPÇÃO DAS MULHERES IDOSAS FRENTE AO HIV/AIDS NO MUNICÍPIO DE CAMPOS DOS GOYTACAZES/RJ

MÁRCIA REGINA PACHECO SOARES, FERNANDA GONÇALVES FERNANDES, LEA SANDRA RISSE, NILZA FRANCO PORTELA e orientado por ROSALEE SANTOS CRESPO ISTOE e orientado por ROSALEE SANTOS CRESPO ISTOE

A AIDS é apontada como uma das doenças mais devastadoras desde o século XX. A mulher, por aspectos anatômicos e fisiológicos, é mais suscetível à infecção pelo vírus HIV do que o homem. Em mulheres idosas, a aparição de sintomas comuns ao estágio inicial do HIV/AIDS geralmente são ignorados, acarretando um diagnóstico tardio da doença nessa população O estudo tem como objetivo identificar a percepção de mulheres idosas frente ao perfil epidemiológico do HIV/AIDS, considerando as especificidades do gênero, sexualidade, vulnerabilidade e o contexto sociocultural. Problematiza questões sociais e biológicas do processo de envelhecimento feminino correlacionado à saúde e a adoção de práticas sexuais seguras. O universo deste estudo foi constituído por idosas, com idade igual ou superior a 60 anos, participantes do Programa Terceira Idade em Ação, desenvolvido na Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro no município de Campos dos Goytacazes, estado do Rio de Janeiro. Este estudo foi desenvolvido a partir de uma pesquisa aplicada, com delineamento transversal, seguindo uma abordagem qualitativa diante do problema exposto. Os resultados demonstram que a maioria das mulheres idosas é sexualmente ativa; possuem uma percepção negativa de sua qualidade de vida sexual; não se consideram em risco; e não adotam métodos preventivos.

Veja o artigo completo: PDF