Resumo Trabalho

PERFIL SÓCIO-EPIDEMIOLÓGICO DA AIDS EM IDOSOS NO BRASIL

GEANE SARA DE HOLANDA, MAYRANE MISAYANE SOUSA DOS SANTOS, GABRIELLA SILVA NOGUEIRA, WAGNER MACIEL SARMENTO e orientado por CÍCERA RENTA DINIZ VIEIRA SILVA e orientado por CÍCERA RENTA DINIZ VIEIRA SILVA

A infecção pelo HIV tem apresentado diversas transformações ao longo dos anos, tanto no que se refere à evolução clínica quanto ao perfil epidemiológico das pessoas infectadas. No que tange a sexualidade, pesquisas mostram que os idosos continuam sendo sexualmente ativos e que vivenciam a prática sexual, na maioria das vezes, sem o uso de preservativo. Considerando esses aspectos, o presente estudo busca reconhecer o perfil sócio-epidemiológico de idosos notificados com HIV no Brasil. Trata-se de um estudo exploratório, de cunho epidemiológico, com abordagem quantitativa, com análise descritiva sobre os casos notificados de Aids em idosos no Brasil, utilizando dados do DATASUS. Observa-se que o número de casos notificados entre os anos de 2010 a 2016 registram um total de 8.063 casos notificados em pessoas com mais de 60 anos, independente do sexo, demonstrando então, que a população idosa também está propensa à infecção pelo HIV. Constatou-se que os casos notificados do sexo masculino se sobressaem quando comparados ao sexo feminino em todas as regiões do país e que maior parcela da transmissão continua sendo por via sexual. Os profisionais devem estar mais preparados para atender às necessidades mais peculiares da população idosa e deve haver maior incentivo do governo em educação continuada em gerontologia, bem como em campanhas sobre sexualidade do idoso.

Veja o artigo completo: PDF