Resumo Trabalho

INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS NA TERCEIRA IDADE: UMA VULNERABILIDADE QUE PERPASSA AS BARREIRAS DE ESTERIÓTIPOS

IGOR DE SOUSA NÓBREGA, RENALLY CHRYSTINA DE ARAUJO ROCHA, LUANA DE SOUZA LIMA, JOSÉ ARTHUR GUIMARÃES DOS SANTOS e orientado por MARIA CIDNEY DA SILVA SOARES

O ADVENTO DO FENÔMENO CONHECIDO COMO “ENVELHECIMENTO POPULACIONAL” CONTRIBUIU PARA O PROLONGAMENTO DA VIDA SEXUAL DO PÚBLICO DO IDOSO. NO ENTANTO, NOTA-SE QUE ESSE FATO PASSA DESPERCEBIDO POR GRANDE PARTE DOS SERVIÇOS DE SAÚDE E POR POLÍTICAS PÚBLICAS QUE NEGLIGENCIAM AÇÕES DE PREVENÇÃO E PROMOÇÃO DA SAÚDE SEXUAL VOLTADAS À ESSA PARCELA DA POPULAÇÃO. EM FUNÇÃO DISSO E DE OUTROS FATORES, VEM-SE OBSERVANDO UM AUMENTO PROGRESSIVO NO NÚMERO DE IDOSOS ACOMETIDOS POR INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS (IST), TORNANDO ESSA PROBLEMÁTICA UMA IMPORTANTE QUESTÃO DE SAÚDE PÚBLICA. NESSA PERSPECTIVA, O PRESENTE TRABALHO SE INSERTA PARA RESPONDER A SEGUINTE QUESTÃO: QUAL A REPERCUSSÃO NA LITERATURA ATUAL ACERCA DESTA TEMÁTICA? PARA ISSO, REALIZOU-SE UM ESTUDO DE REVISÃO BIBLIOGRÁFICA NAS BASES DE DADOS DA BVS, SCIELO E PUBMED, EMPREGANDO OS DESCRITORES “IST” E “ELDERLY” INTERCALADOS PELO OPERADOR BOOLEANO AND. FORAM INCLUÍDOS PARA ANÁLISE ESCRITOS DISPONÍVEIS NA ÍNTEGRA, NOS IDIOMAS INGLÊS, PORTUGUÊS E/OU ESPANHOL, PUBLICADOS ENTRE OS ANOS DE 2014-2018 E EXCLUÍDOS OS DUPLICADOS E QUE FUGIAM AO TEMA. DADA A COLETA DE DADOS, PERCEBEU-SE QUE A PRÁTICA SEXUAL DESPROTEGIDA ASSOCIADA A CRENÇA, PELOS PROFISSIONAIS DA SAÚDE, DE QUE IDOSOS NÃO POSSUEM VIDA SEXUAL ATIVA E A QUASE INEXISTÊNCIA DE POLÍTICAS PÚBLICAS VOLTADAS PARA SAÚDE SEXUAL DESSE GRUPO, PROPICIA O CRESCIMENTO EXPONENCIAL DE IST ENTRE ESSA PARCELA DA POPULAÇÃO. ADEMAIS, HÁBITOS COMO A BAIXA PROCURA PELOS SERVIÇOS DE SAÚDE DE FORMA PERIÓDICA CONTRIBUEM PARA A DISSEMINAÇÃO DESSA PROBLEMÁTICA QUE POR HORA PERMANECE NEGLIGENCIADA E SEM A DEVIDA NOTORIEDADE.

Veja o artigo completo: PDF