Resumo Trabalho

A IMPORTÂNCIA DA UNIVERSIDADE ABERTA A TERCEIRA IDADE DA UNCISAL NO PROCESSO DE ENVELHECIMENTO: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

LHAYSE DOS SANTOS LOPES, MARIANA MARIA PEREIRA CINTRA FARIAS, MARIANA BARBOSA DA SILVA, LÍVIA MARIA ZACARIAS CLAUDINO e orientado por ALBA MARIA BOMFIM DE FRANÇA e orientado por ALBA MARIA BOMFIM DE FRANÇA

Introdução: O envelhecimento é um processo caracterizado através de processos fisiológicos e declínios do organismo, o que por consequência, resulta em alterações físicas, emocionais e sociais também e de acordo com a literatura, o processo de envelhecimento populacional vem impondo grandes reflexões nos modos de pensar e viver a velhice na sociedade. 1 Por isso a importância de planejamentos e ações com o intuito de promover o envelhecimento e a busca pela qualidade de vida diante desse processo, ofertando à população condições que possibilitem um envelhecer ativo, com dignidade e autonomia, 2 podendo-se citar como exemplo a Universidade Aberta a Terceira Idade. Frente a isso, o UNCISATI faz parte de um modelo inovador de atenção, voltado para a reinserção do idoso na comunidade ao qual vive, proporcionando atividades que possuem o intuito de melhorar seus conhecimentos, sua cognição, suas habilidades motoras e funcionais e facilitando assim o seu processo de envelhecimento. Objetivos: Relatar a experiência de discentes frente à importância do UNCISATI como um projeto facilitador da melhor aceitação e vivenciamento do processo de envelhecimento. Metodologia: Trata-se de um relato de experiência vivenciado por discentes da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas, frente as atividades extensionistas como monitores do projeto UNCISATI, durante o ano letivo de 2016.Resultados e Discussão: Durante o período em apreço, foi perceptível e de grande valia poder participar do crescimento e desenvolvimento dos idosos durante as oficinas, a convivência entre os idosos e os monitores foi crucial para o desenvolvimento e aperfeiçoamento das práticas desenvolvidas pelos idosos e, trouxe também grande relevância para a formação profissional dos discentes da instituição, ao qual foi proporcionado grandes experiências grupais, com o intuito de formular novos aprendizados, novas reflexões acerca das temáticas abordadas e do cotidiano do dia a dia, além de construir novos vínculos de amizades, tanto entre os colegas de grupo como vínculos de idoso-monitor. Conclusão: Diante do exposto, pode-se perceber que as ações dos idosos nas atividades extensionistas refletem para um novo significado sobre o que é e qual a melhor forma para se envelhecer, o que pode ser compreendido como uma nova forma de perspectivas, vivências e de como se auto enxergar, pois, envolver o idoso em momentos que valorizem sua qualidade de vida está diretamente relacionado ações que refletem seu cuidado, seu conhecimento e sua sabedoria diante da sociedade. Palavras-chave: Envelhecimento. Qualidade de vida. Idoso. Referências: 1 BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Atenção à saúde da pessoa idosa e Envelhecimento. Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas, Área Técnica Saúde do Idoso. Brasília, 2010. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/. Acesso em 05, setembro de 2017. 2 Hoepers, JK. Ações do enfermeiro da estratégia de saúde da família na promoção do envelhecimento saudável. Rev Inova Saúde, n. 1, vol. 5, jul. 2016. Disponível em: http://periodicos.unesc.net/Inovasaude/article/view/1914/2458. Acesso em 08, setembro, 2017

Veja o artigo completo: PDF