Resumo Trabalho

FATORES DETERMINANTES PARA A DEPRESSÃO EM IDOSOS RESIDENTES EM INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA

ISABELA GOMES DE FRANÇA, ISABEL LAIZE VITURIANO VERAS, LORENA YNGRID GOMES DANTAS, SAMYRA KELLY DE LIMA MARCELINO e orientado por REJANE MARIA PAIVA DE MENEZES

RESUMO A DEPRESSÃO, DEFINIDA COMO UM TRANSTORNO DE HUMOR COMUM ENTRE OS IDOSOS, TEM ORIGEM MULTIFATORIAL E ABRANGE TANTO FATORES ORGÂNICOS, QUANTO PSICOSSOCIAIS. ESTIMA-SE QUE ENTRE 23 E 40% DA POPULAÇÃO IDOSA EM GERAL, APRESENTE ESSA DOENÇA. ALÉM DESSE INDICADOR, A TAXA EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS É DE 54%, PODENDO VARIAR DE 25 A 80%. O PRESENTE ESTUDO TEM COMO OBJETIVO, IDENTIFICAR NA LITERATURA BRASILEIRA, OS FATORES DETERMINANTES PARA A DEPRESSÃO EM IDOSOS RESIDENTES EM INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA. ESTUDO TEÓRICO, DO TIPO REVISÃO INTEGRATIVA DA LITERATURA, ATRAVÉS DE ARTIGOS DISPONÍVEIS NAS BASES DE DADOS SCIELO, LILACS E BDENF, REALIZADO NO MÊS DE MAIO DE 2019, COM USO DOS DESCRITORES: IDOSOS, DEPRESSÃO, INSTITUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA, FATORES DE RISCO. FEZ-SE UM LEVANTAMENTO BIBLIOGRÁFICO, NO QUAL FORAM ENCONTRADOS 24 ARTIGOS, DESTES, O TOTAL DE 4, RESPONDEU AO OBJETIVO DO ESTUDO. VERIFICOU-SE QUE EM ALGUNS DELES, A TAXA DE PREVALÊNCIA DE DEPRESSÃO EM IDOSOS RESIDENTES EM LARES DE LONGA PERMANÊNCIA É PRÓXIMA DE 50%, O QUE PODE ESTAR RELACIONADO COM A INSTITUCIONALIZAÇÃO, CONSIDERANDO-A COMO UM FATOR DE RISCO IMPORTANTE PARA O DESENCADEAMENTO DA DEPRESSÃO. OBSERVOU-SE TAMBÉM, NOS RESULTADOS ENCONTRADOS PELOS AUTORES, HAVER UMA CONCORDÂNCIA ENTRE OS MESMOS, NO QUE SE REFERE A PREDOMINÂNCIA DOS FATORES DE RISCOS COMO: SEXO FEMININO, IDADE AVANÇADA, LIMITAÇÃO/RESTRIÇÃO, COMORBIDADES, BAIXA ESCOLARIDADE, SER SOLTEIRO E SEM FILHOS.

Veja o artigo completo: PDF