Resumo Trabalho

AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE ATIVIDADE FÍSICA DE IDOSOS HIPERTENSOS E FATORES DE RISCO PARA DOENÇAS CARDIOVASCULARES

JESSIKA DOS SANTOS SOUZA, MAXSUEL OLIVEIRA DE SOUZA, ROSANE PEREIRA DOS REIS, DANIELE GONÇALVES BEZERRA e orientado por EVELIN APARECIDA BATISTA DE OLIVEIRA CALUMBI e orientado por EVELIN APARECIDA BATISTA DE OLIVEIRA CALUMBI

INTRODUÇÃO: No Brasil, a Hipertensão Arterial (HA) atinge 36 milhões dos adulto sendo mais de 60% pertencentes à população idosa o que contribui para metade das mortes por doença cardiovascular (DCV). A aplicação do questionário internacional de atividade física (IPAQ) e a avaliação dos Índices de Massa Corpórea (IMC) e Relação Cintura Quadril (RCQ) podem servir como parâmetros preditores das DCV. OBJETIVO: O presente estudo busca investigar o nível de atividade física e os fatores de riscos de doenças cardiovasculares em idosos não institucionalizados. METODOLOGIA: Trata-se de um estudo observacional transversal e quantitativo, descritivo. Foram selecionados, por conveniência, participantes do grupo de Idosos da Igreja Nossa Senhora da Conceição, em Marechal Deodoro/AL. Como critérios de inclusão: idosos acima de 60 anos de idade, ambos os gêneros; e excluídos: idosos que apresentarem alteração cognitiva; amputação de membros inferiores ou superiores, acamados, cadeirantes e atletas profissionais da terceira idade. RESULTADOS: Foram avaliados 20 idosos, sendo predominante o sexo feminino com 90%. Em relação ao IMC, 30 % foi classificado como normal, 10,0% com IMC baixo, 40 % encontram-se em obesidade leve e 20 % em obesidade moderada. Com relação ao IPAQ, 40% foram classificados como irregularmente ativos tipo B, 20% irregularmente ativo tipo A, 15% ativos e 15% muito ativo. Na análise do RCQ 65 % se classificou como muito alto. CONCLUSÃO: Através da avaliação do IPAQ os idosos apresentam em sua maioria irregularmente ativos e tem valores de IMC e RCQ fora dos ideais para a população acima de 60 anos.

Veja o artigo completo: PDF