Resumo Trabalho

RASTREAMENTO DE SINTOMAS DEPRESSIVOS EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS

BRUNO NEVES DA SILVA, EVELTO ANGELO FRUTUOSO, MAISA GALDINO PEREIRA, FABRICIA CRISTINA VIDAL SILVA e orientado por CÍCERA RENATA DINIZ VIEIRA SILVA e orientado por CÍCERA RENATA DINIZ VIEIRA SILVA

No Brasil, com a ocorrência da transição demográfica, o número de pessoas que alcançam a terceira idade tem aumentado significativamente, e paralelamente a esse processo observa-se um aumento gradativo de perturbações de humor nessa etapa da vida, principalmente o transtorno depressivo. O presente estudo objetivou analisar a prevalência de sintomas depressivos em idosos institucionalizados. Trata-se de um estudo transversal descritivo, com abordagem quantitativa, que foi desenvolvido com idosos de três instituições de longa permanência no município de Cajazeiras – PB. O instrumento utilizado para a coleta de dados consistiu em um questionário validado, a Escala de Depressão Geriátrica (EDG-15). A análise estatística descritiva (distribuições absolutas, percentuais, média e desvio padrão) e testes estatísticos foram realizados no software SPSS, versão 20. Todos os itens dispostos na Resolução 466/12 do Conselho Nacional de Saúde, que regulamenta a pesquisa com seres humanos, foram obedecidos neste estudo. A prevalência de sintomas depressivos encontrada na presente amostra foi de 47,8%, mostrando-se elevada quando comparada com outras pesquisas. Isso sugere melhores capacitações por parte dos profissionais em busca de olhares diferenciados e investigações direcionadas, objetivando intervenções precoces e satisfatórias. Nesse contexto, torna-se primordial a criação de programas para idosos institucionalizados que visem promover participações diretas no âmbito social, cultural, esportivo, lazer e educacional, dando empoderamento aos atores sociais, ao passo que contribuem para redução da sintomatologia depressiva neste grupo etário.

Veja o artigo completo: PDF