Resumo Trabalho

A INFLUÊNCIA DA OFICINA DE FORTALECIMENTO MUSCULAR NA QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS: UM RELATO DE EXPERIENCIA DA UNIVERSIDADE ABERTA A TERCEIRA IDADE

MARIA MÉRCIA SOARES DOS SANTOS e orientado por MARIA CLARA BRASILEIRO BARROSO e orientado por MARIA CLARA BRASILEIRO BARROSO

INTRODUÇÃO: Partindo da perspectiva de que a depender da rotina estabelecida no respectivo ambiente do idoso, pode–se contribuir para um envelhecimento saudável e ativo através do desenvolvimento de atividades que estimulam os aspectos físicos e mentais, contribuindo assim para a diminuição da ociosidade, melhoria da qualidade de vida e da auto estima. Sendo assim gera a necessidade de promover um cotidiano que aumente e desenvolva a criatividade e o conhecimento, com intuito de ensinar, se divertindo e interagindo com os outros. Desse modo a promoção para um envelhecimento ativo, proporciona a população idosa uma vida mais saudável e dinâmica para um viver bem na fase final da vida. OBJETIVO: Descrever a influência da oficina de fortalecimento muscular na qualidade de vida dos idosos. METODOLOGIA: Dessa maneira, os aspectos éticos foram respeitados e a pesquisa não passou no comitê de ética por se tratar de um relato de experiência oriundo de uma atividade de ensino da universidade conforme a Resolução 510/2016. Foram realizadas três sessões de oficina e ao fim de cada uma delas as participantes exporão seus sentimentos, em uma roda de conversa sobre as atividades realizadas. RESULTADO/DISCURSSÃO: Constatou-se que, as idosas que praticam atividades físicas mostram mais disposição na realização das atividades de vida diária e sentem-se mais fortes e resistentes na saúde do corpo. Nota-se que, os perigos que a ociosidade traz para saúde do indivíduo, faz com que a inatividade cause o regresso das habilidades e funções do corpo, levando o idoso a ter problemas, como a redução nas atividades domésticas, restrição de atividades de lazer, doenças psíquicas, distúrbios do sono entre outras complicações. Em seus depoimentos conclui-se que a oficina faz parte da sua vida como meio de adquirir melhor qualidade de vida a saúde do idoso, percebendo grandes melhoras com as práticas realizadas regularmente nos exercícios diários da oficina, complementando ainda a contribuição no desempenho funcional, cognitivo nas funções do dia a dia conforme as falas das participantes. CONCLUSÃO: Assim, conclui-se nesta pesquisa é importante desenvolver estudos desse nível em favor do aumento da qualidade de vida da população idosa, pois assim é possível ampliar a compreensão e percepção acerca da implementação de atividades que possam causar mudanças no cotidiano dos idosos.

Veja o artigo completo: PDF