Resumo Trabalho

ASSOCIAÇÃO ENTRE VARIÁVEIS SÓCIODEMOGRÁFICAS E PERFIL DAS INTERNAÇÕES DE IDOSOS POR VIOLÊNCIA CORPORAL

VIVIAN CARLA DE CASTRO, CLAUDIA VIVIANE DE CASTRO, MARÍLIA ANGELINA FERREIRA PAPA e orientado por LIGIA CARREIRA e orientado por LIGIA CARREIRA

Apesar de se tratar de uma condição adversa à saúde pública, a violência contra o idoso ainda constitui um Problema camuflado na sociedade. A violência impacta negativamente na qualidade de vida dos idosos, podendo gerar danos na capacidade funcional, violação de direitos humanos e elevadas taxas de mortalidade. Pessoas idosas vítimas de violência são frequentemente expostas a circunstâncias de ameaça à saúde e à segurança, o que aumenta a probabilidade de internação hospitalar. O presente estudo buscou verificar a prevalência de agressão corporal nas internações de idosos brasileiros por agressões no período de 2008 a 2013 e a associação deste tipo de violência com variáveis sociodemográficas e relacionadas à internação. Trata-se de um recorte de pesquisa quantitativa, descritiva, transversal com idosos internados por agressões. Critérios de inclusão: ter 60 anos ou mais, ter sido hospitalizado no Sistema Único de Saúde por agressão corporal, entre 2008 e 2013. Os dados foram coletados em fevereiro de 2016, na base de dados do Datasus e analisados descritiva e inferencialmente, utilizando-se distribuição qui-quadrado, no programa EpiInfo3.5.4. Foram registradas, no período de 2008 a 2013, 14.651.626 internações de indivíduos com 60 anos ou mais no Brasil. A prevalência das internações por agressão corporal foi maior, do ponto de vista estatístico, em idosos na faixa etária de 60 a 69 anos, homens, no setor público. As informações apresentadas permitem discussões sobre a violência corporal contra os idosos e o planejamento de ações em saúde e políticas públicas que possam minimizar a ocorrência deste evento.

Veja o artigo completo: PDF