Resumo Trabalho

USO DE PSICOTRÓPICOS EM IDOSOS ATENDIDOS NA FARMÁCIA BÁSICA DE NOVA FLORESTA-PB

ALISSON DE VASCONCELOS PINTO, IRINEU PEREIRA DE MORAIS JUNIOR, ÂNDERSON DE VASCONCELOS PINTO e orientado por FERNANDO DE SOUSA OLIVEIRA e orientado por FERNANDO DE SOUSA OLIVEIRA

Os medicamentos são elementos importantes, amenizam o sofrimento humano e propiciam a cura de vários males. A sua utilização de forma racional deve passar por um processo educativo, de usuários e consumidores a respeito da automedicação, devido à utilização, interrupção e troca, bem como da necessidade da receita médica para a dispensação, quando for o caso. Os psicotrópicos são modificadores do SNC, que agem nas doenças psiquiátricas. O uso irracional dos psicotrópicos é considerado um grave problema de saúde pública, devido aos diversos prejuízos que essa prática causa a população. A utilização de medicamentos psicotrópicos por pessoas idosas vem aumentando consideravelmente nos últimos anos devido à alta prevalência de doenças na terceira idade, sendo a prescrição de medicamentos a intervenção terapêutica mais comumente realizada. O objetivo deste trabalho foi identificar o perfil demográfico e socioeconômico dos idosos usuários de psicotrópicos atendidos na farmácia básica do município de Nova Floresta, identificar os medicamentos potencialmente inapropriados utilizados e analisar as interações medicamentosas presentes. Corresponde a um estudo transversal, quanti-qualitativo e do tipo descritivo. Foram entrevistados 29 idosos usuários de psicotrópicos no município de Nova Floresta-PB. Foi observado prevalência do sexo feminino (58,6%), e casado (65,4%). Quanto aos MPI encontrados, 34,5% dos idosos utilizavam medicamentos impróprios, sendo a amitriptilina o MPI mais prevalente. Após análise dos dados, foi observada que uma considerável e preocupante frequência de MPI é prescrita no município de Nova Floresta, desta forma, a utilização dos critérios de “Beers-Fick” pela equipe multiprofissional de saúde pode prevenir as prescrições de MPI aos idosos.

Veja o artigo completo: PDF