Resumo Trabalho

RASTREAMENTO DO CÂNCER DE PRÓSTATA EM IDOSOS DE UMA COMUNIDADE RURAL: UM ESTUDO AVALIATIVO DAS AÇÕES DESENVOLVIDAS EM UM MUNICÍPIO DE ALAGOAS

JAILTON ROCHA MISAEL, CLAUDIO JOSE DOS SANTOS JUNIOR, AGATHA PRADO DE LIMA , GUILHERME CALIXTO DOS SANTOS NEVES e orientado por GILVANA MARIA VIEIRA XAVIER e orientado por GILVANA MARIA VIEIRA XAVIER

O presente trabalho tem o objetivo de analisar a cobertura de ações de rastreamento para o câncer de próstata no público de 60 anos ou mais, adscrito à Equipe de Saúde da Família no Povoado de Santa Efigênia – Capela/AL. A análise foi realizada em fichas de acompanhamento do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica do período entre os meses de janeiro e julho de 2017. Os aspectos éticos foram de acordo com a resolução 466/2012. Verificou-se que o povoado de Santa Efigênia apresenta um total de 216 idosos (9,21% da população), dos quais, 105 (48,6%) são do sexo masculino. Além dos agravantes de acessibilidade, todos os profissionais médicos que trabalhavam nesta ESF não procediam o toque retal. Quanto aos métodos de rastreamento prostáticos: 14 homens com idade de 60 anos ou mais realizaram a dosagem do PSA na vida (13,3%); 3 idosos foram submetidos ao toque retal (2,86%); e, apenas 1 idoso realizou ultrassonografia pélvica e biópsia de tecido prostático. Concluiu-se que rastreamento para o câncer de próstata no Povoado de Santa Efigênia configura-se como estratégia aquém das pactuações das ações de saúde no município de Capela, com proporções inferiores as que são preconizadas no território nacional. Assim, torna-se fundamental a sensibilização educativa para o envolvimento e captação de mais pessoas com idade igual ou superior a 60 anos.

Veja o artigo completo: PDF