Resumo Trabalho

SEXUALIDADE NA TERCEIRA IDADE: UMA VISÃO DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL

MAXSUEL OLIVEIRA DE SOUZA, ROSANE PEREIRA DOS REIS, JESSIKA DOS SANTOS SOUZA, EVELIN APARECIDA BATISTA DE OLIVEIRA CALUMBI e orientado por DANIELE GONÇALVES BEZERRA e orientado por DANIELE GONÇALVES BEZERRA

INTRODUÇÃO: A sexualidade quando relacionada ao envelhecimento humano remete lendas e estereótipos, pois a pessoa idosa é vista pela sociedade como um indivíduo que não tem interesses sexuais, representando um tabu. Diante disso, este estudo teve como objetivos identificar o que a literatura científica descrever e traz a respeito da visão da equipe multiprofissional quanto a sexualidade do idoso. METODOLOGIA: Trata-se de uma revisão simples de literatura, realizada por acesso online nas bases de dados: Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), Medical Literature Analysis and Retrieval System Online (MEDLINE), Scientific Electronic Library Online (SCIELO) e Base de Dados Brasileiras de Enfermagem (BDENF). RESULTADOS E DISCUSSÕES: Encontrou-se 11 (onze) artigos científicos. Dentre os artigos analisados, endente-se que a sexualidade quando relacionada ao envelhecimento manifesta mitos e preconceitos, derivando na percepção de que os idosos são pessoas assexuadas. Diante disso, a sexualidade do idoso precisa ser compreendida partindo do início de que ela se compõe da totalidade deste sujeito, necessitando o idoso ser analisado como um todo, ou seja, no sentido holístico. As evidencias mostraram que é necessário que a equipe multiprofissional se conscientize quanto a vida sexual do idoso, necessitando ser vista como realidade em função das orientações sobre medidas preventivas das DST’s com intuito de dialogar e compartilhar os conhecimentos aos idosos. CONCLUSÃO: A equipe multiprofissional precisa estimular o idoso a conversar sobre sua vida sexual, ajudando na qualidade de vida do mesmo, buscando oferecer uma assistência hábil pautada na educação em saúde, proporcionando ao idoso novas expectativas e perspectivas.

Veja o artigo completo: PDF