Resumo Trabalho

PROMOÇÃO A SAÚDE DO IDOSO: A INTERVENÇÃO COM BASE NOS PRINCÍPIOS DA POLÍTICA NACIONAL DE HUMANIZAÇÃO (PNH)

THAYNA ROQUE DE SOUSA LEMOS, ELAINE CRISTINA NASCIMENTO GUEDES , NORMANDA NEVES CANDEIA, HAYDÊE CASSÉ DA SILVA e orientado por RAFAELA PEREIRA FERNANDES e orientado por RAFAELA PEREIRA FERNANDES

Introdução: A humanização em saúde tem sido vista como ponto fundamental que deve sair do escopo teórico para prática no cotidiano dos serviços de atenção básica. Por isso, em 2003 foi criada a Política Nacional de Humanização da Atenção e Gestão do SUS (PNH), também conhecida como HumanizaSUS. Dentre os princípios e diretrizes do HumanizaSUS recai o estímulo às relações entre: profissionais e usuários, equipe multiprofissional, unidades e serviços, e gestores de várias instâncias e níveis de atenção. Acredita-se que na participação popular na construção de saúde pública humanizada. Para que essa ideia seja concretizada, é importante que existam canais de informação ao usuário, seja de forma individual ou coletiva. Pensando nisso, apresenta-se aqui uma intervenção de promoção a saúde onde, através da informação, os idosos foram estimulados a exercer um papel mais participativo nos serviços públicos que lhes são prestados, especificamente direcionados a saúde do idoso. Com isso, o objetivo deste foi evidenciar a proposta de promoção a saúde no âmbito coletivo, atendendo as especificidades de cada grupo, dando ênfase nos idosos do condomínio “Cidade Madura”. Metodologia:Tratou-se de estudo do tipo Pesquisa-Ação de campo com análise qualitativa dos dados. A amostra foi do tipo não-probabilístico, selecionada por conveniência; composta por oito idosos voluntários do condomínio “Cidade Madura”, João Pessoa/PB. Como critério de seleção da amostra considerou-se: idosos acima dos 60 anos, ambos os sexos, boa capacidade cognitiva para responder aos questionamentos e participação voluntária. O instrumento utilizado para coletar os dados foi um roteiro de entrevista elaborado com os questionamentos sobre as experiências destes com a temática abordada na roda de conversa; banner ilustrativo; registro de imagens. Os dados coletados foram analisados qualitativamente através da análise de conteúdo proposto por Bardin. Resultados e discussões:Os dados coletados foram distribuídos e analisados em três categorias: (1) Atitudes de omissão e descaso dos profissionais; (2) Clareza nas informações prestadas por profissionais; (3) Questionamentos dos idosos sobre os temas abordados.Na categoria 1, atitudes de omissão e descaso, a maioria dos idosos relataram que mediante situações enfrentadas no cotidiano há pessoas que os tratam com descaso, como se não soubessem sobre o assunto, tornando-se omisso. Na categoria 2 as falas apontaram para o atendimento em saúde quando se procura consulta profissional, perante o firme e claro entendimento dos procedimentos a serem realizados pelo idoso. Na categoria 3 os questionamentos foram suscitados quanto aos processos específicos para serem realizados quando necessitar valer o direito que é assegurado ao idoso. Conclusão:Os princípios do HumanizaSUS nos fornecem uma ferramenta de extrema importância para que exista um serviço público de saúde de qualidade. Propostas de promoção a saúde voltadas para a informação podem resultar em rede de usuários conscientes e orientados da participação na construção de um SUS que funcione de forma humanizada, acolhendo os usuários e dando-lhes a devida importância.

Veja o artigo completo: PDF