Resumo Trabalho

RISCO DE QUEDAS EM IDOSOS HOSPITALIZADOS E OS FATORES EXTRÍNSECOS

BARBARA JEANE PINTO CHAVES, SUZANNA VALÉRIA OLIVEIRA DE SOUZA, OLGA BENARIO BATISTA DE MELO CHAVES, NATANA DE MORAIS RAMOS e orientado por JACIRA DOS SANTOS OLIVEIRA e orientado por JACIRA DOS SANTOS OLIVEIRA

As quedas têm cooperado para uma piora das condições de saúde/doença dos idosos com sessenta anos ou mais e constitui-se a primeira causa de acidentes e a terceira maior causa de morte nesses grupos. A pesquisa objetivou: identificar o perfil dos idosos internados e verificar os fatores extrínsecos existentes em uma unidade de clínica de um Hospital Universitário, favoráveis a ocorrência de quedas. Trata-se de uma pesquisa documental, retrospectiva e descritiva realizada na unidade de clínica de um Hospital Universitário situado na região Nordeste do Brasil contemplando o período de janeiro a dezembro de 2015. Os dados foram coletados do livro de registro de admissão e alta da referida unidade, aplicados ao Programa SPSS versão 2.0 e os resultados representados em tabelas. O estudo obedeceu a Resolução 466/2012 do Conselho Nacional de Saúde. Os achados revelaram predomínio de idosos do sexo feminino, idade média de 71,6 anos. Os meses de janeiro e fevereiro estiveram com mais números de internamento, as internações apontaram média de 4,8 dias e a alta hospitalar imperou como principal motivo das saídas. Quanto aos fatores extrínsecos, constatou-se que embora a maioria das enfermarias tenham sido consideradas como ambientes seguros, prevaleceu moveis em excesso, ausência de material antiderrapante e barras de segurança no box dos banheiros. Dessa forma, concluímos que conhecer o perfil dos idosos internados e os fatores extrínsecos favoráveis a acidentes por quedas, irá possibilitar aos profissionais de saúde identificar os riscos existentes e prover uma assistência segura ao idoso.

Veja o artigo completo: PDF