Resumo Trabalho

COBERTURA PROFISSIONAL ESPECIALIZADA E SAÚDE DA POPULAÇÃO IDOSA: UMA ANÁLISE DEMOGRÁFICA DA DISTRIBUIÇÃO DE GERIATRAS NOS ESTADOS DO NORDESTE BRASILEIRO

GUILHERME CALIXTO DOS SANTOS NEVES, CLAUDIO JOSE DOS SANTOS JUNIOR, JAILTON ROCHA MISAEL, MARIA CLARA DOMINGOS DE ARAÚJO SOUSA e orientado por MARIA ROSA DA SILVA e orientado por MARIA ROSA DA SILVA

O fenômeno de envelhecimento populacional passa a se estabelecer atualmente em países em desenvolvimento como o Brasil. O motivo desse alargamento no topo da pirâmide populacional é a redução da mortalidade e da fecundidade no país. O aumento da população idosa provoca uma reestruturação epidemiológica, com a diminuição de agravos agudos e infecciosos e maior crescimento de distúrbios crônicos e neuropsiquiátricos. É essencial uma assistência especializada para atender as peculiaridades que abrangem a população senil e acompanhar a evolução de distúrbios que possam vir a comprometer a qualidade de vida desses indivíduos. O objetivo do trabalho é avaliar o número de profissionais médicos com especialização em Geriatria frente ao número de idosos encontrados nas Unidades da Federação (UF) da região Nordeste do Brasil. Além disso, o trabalho busca relacionar o total de profissionais especialistas em cada estado com algumas internações evitáveis de pacientes idosos no Sistema Único de Saúde (SUS). O presente trabalho é de base quantitativa e descritiva, teve como foco exploratório as UF brasileiras pertencentes à região Nordeste. Foi utilizado como fonte de dados o Sistema de Indicadores de Saúde e Acompanhamento de Políticas do Idoso (SISAP-Idoso) e o relatório de “Demografia médica no Brasil 2015” do Conselho Federal de Medicina. A quantidade de idosos de cada UF foi dividida pelo número total de geriatras atuantes no local, encontrando-se o número de idosos para cada geriatra nos estados do nordeste brasileiro. Pelo levantamento realizado, existem 186 geriatras no Nordeste cadastrados no CFM. A Bahia é o estado com maior quantidade de idosos e de profissionais geriatras. Sergipe apresenta o menor quantitativo de pessoas acima dos 60 anos e o Maranhão contém o menor número de geriatras do Nordeste. Quanto às internações evitáveis, foram averiguados os parâmetros: internações por hipertensão, doenças preveníveis por imunização e deficiências nutricionais. A Bahia liderou todos os casos de internações evitáveis, mas chamaram atenção os altos índices de pacientes hipertensos no Maranhão; com doenças infecciosas no Ceará e com déficit nutricional em Pernambuco. Preconiza-se um médico geriatra para cada mil idosos de um local. O Nordeste e o Brasil de maneira geral estão muito abaixo do número de profissionais necessários para ofertar uma assistência eficaz e completa. Ficou evidente a necessidade do estabelecimento em todo o Nordeste de ações, como o incentivo à qualificação de especialistas e melhor abordagem da temática durante a graduação em Medicina, para aumentar a oferta desses profissionais. Quanto às internações consideradas evitáveis, observou-se um número grande de hospitalizações por hipertensão, sendo um direcionamento para o investimento de políticas públicas que auxiliem nessa diminuição.

Veja o artigo completo: PDF