Resumo Trabalho

AVALIAÇÃO DE RISCOS DE QUEDAS EM IDOSOS MORADORES DE CONDOMÍNIOS

POLIANA CARLA BATISTA DE ARAÚJO, MARIO HELIO ANTUNES PAMPLONA, SABRINA DA SILVA SOARES, WAGNER MACIEL SARMENTO e orientado por RAYRLA CRISTINA DE ABREU TEMOTEO e orientado por RAYRLA CRISTINA DE ABREU TEMOTEO

Introdução: O processo de envelhecimento pode ocasionar na pessoa idosa uma série de desafios principalmente em decorrência da diminuição das funções físicas e cognitivas, dentre estes se podem observar as quedas, que possuem diversos fatores de risco como intrínsecos e extrínsecos, sendo assim existem a necessidade de avaliação do risco de quedas no intuito de proporcionar medidas que possam prevenir estes acidentes. Objetivo: relatar a experiência de acadêmicos do curso de graduação em enfermagem na avaliação do risco de quedas em idosos de um condomínio exclusivo para o público idoso em uma cidade do sertão paraibano. Metodologia: Trata-se de um estudo descritivo realizado por meio de relato de experiência de acadêmicos do curso de graduação em enfermagem durante os estágios da disciplina de Saúde do Idoso. A atividade ocorreu em núcleo habitacional de uma cidade do alto sertão paraibano. Usou-se a escala de avaliação do equilíbrio e da marcha de tinetti, o mini exame do estado mental (MEEM), e dois testes relacionados ao equilíbrio o TAF (teste de alcance funcional), e o TUG (Timed Up And Go Test). Resultados e Discussões: Os testes foram realizados na própria residência do idoso. Inicialmente, a escala de avaliação de Tinetti, objetivando avaliar o equilíbrio por meio de questionamentos sobre a realização de tarefas e a marcha, MEEM para avaliar a função cognitiva, O TAF consiste na mensuração funcional do alcance do idoso e o TUG avalia o tempo necessário que um indivíduo lesa para exercer manobras funcionais. Esses testes são instrumentos que possibilitam a detecção do risco de quedas e da necessidade de intervenções através da prevenção, evitando esses acidentes. Foi notória, a relevância da vivência de acadêmicos, sendo perceptível a necessidade de ter um olhar integral sobre esse público, principalmente sobre os acidentes por quedas. Sendo assim, a utilização desses instrumentos, apresentam-se como medidas de adoção necessária pelos profissionais, e a experiência permitiu uma aquisição de conhecimentos frente à temática, favorecendo uma formação profissional mais completa. Conclusões: A atividade executada propiciou aos acadêmicos uma vivência, junto à pessoa idosa, rica em aprendizado, onde a partir das ações realizadas foi possível vislumbrar-se como futuros profissionais, compreendendo a importância da atenção à saúde do idoso e da avaliação do risco de quedas nestes indivíduos, proporcionando uma ampliação do conhecimento sobre esta temática.

Veja o artigo completo: PDF