Resumo Trabalho

USO DA CIPE NA SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM A UMA IDOSA PORTADORA DE MIELOMA MÚLTIPLO NA UTI: RELATO DE EXPERIÊNCIA

BIANCA MARIA VIEIRA DE VASCONCELOS, LARISSA DOS SANTOS BRANDÃO, LEINA RODRIGUES FERREIRA, LORENA DE FATIMA LUCENA ALMEIDA e orientado por ISABEL COMASSETTO e orientado por ISABEL COMASSETTO

INTRODUÇÃO: O Mieloma Múltiplo (MM) é uma doença hematológica maligna cuja principal característica diz respeito ao aumento das células plasmáticas na medula óssea e consequente produção desregulada de imunoglobulina monoclonal. O risco de desenvolvimento do MM aumenta com a idade, e tendo em vista a transição da estrutura etária ocorrida no Brasil nas últimas décadas, observa-se a importante mudança no perfil de morbimortalidade, ocorrendo uma diminuição do número de mortes por doenças infectocontagiosas e um aumento por doenças crônico-degenerativas. Somado a isso, a incidência de neoplasias malignas é superior em indivíduos maiores de 65 anos, representando 70% das mortes por câncer. Considerando a crescente incidência do câncer, reconhecendo a necessidade de qualificação do enfermeiro para o cuidado ao paciente idoso onco-hematológico e da importância da Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE) como instrumento para a ocorrência efetiva do Processo de Enfermagem, esse trabalho objetiva relatar a experiência de acadêmicos de Enfermagem sobre a assistência prestada a uma idosa portadora de mieloma múltiplo utilizando-se da Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem (CIPE) ® 2015. METODOLOGIA: Essa pesquisa consistiu em um relato de experiência, na oportunidade do estágio obrigatório para a graduação em Enfermagem pela Universidade Federal de Alagoas, na UTI Geral do Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (HUPAA), nos meses de julho e agosto de 2017. Trata-se de um estudo qualitativo, que abordou a problemática observada a partir de métodos descritivos e observacionais. RESULTADOS E DISCUSSÃO: No período de permanência dos estudantes na UTI Geral, a assistência de Enfermagem prestada a paciente idosa com MM em questão consistiu nos cuidados de rotina da UTI Geral, como banho no leito, administração de medicamentos, controle hídrico, exame físico diário e acompanhamento dos processos de hemodiálise e quimioterapia aos quais a paciente está sendo submetida. A partir da coleta de dados, foi possível realizar os seguintes diagnósticos através da Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem (CIPE): Atividade psicomotora prejudicada; Autocuidado deficitário; Processo renal comprometido; Comportamento interativo prejudicado; Condição neurológica prejudicada; Defecação eficaz; Edema presente; Risco para lesão por pressão; Risco para alopecia; Risco para aspiração; Processo familiar efetivo; Risco para queda presentes; Risco para vômito presente; Risco para sistema cardiovascular comprometido. A partir desses diagnósticos, segue algumas das intervenções que foram realizadas: Realizar massagem de conforto e estímulo; Promover autocuidado conforme possibilidades da idosa; Acompanhar hemodiálise; Registrar ultrafiltrado; Administrar fármacos segundo prescrição; Estimular interação com a família; Aferir interação da idosa frequentemente; Aferir status neurológico frequentemente; Observar sinais vitais frequentemente; Promover hidratação; Elevar membros inferiores; Promover mudança de decúbito; Observar integridade da pele; Observar efeitos colaterais das medicações; Comunicar ao profissional médico alterações de pressão sanguínea. CONCLUSÕES: Durante esse processo, foi possível aos estudantes compreender acerca da etiopatogenia, possibilitando o entendimento da relação que existe entre as condutas clínicas e os sinais e sintomas esperados de acordo com a evolução da doença na idosa, a prestação dos cuidados de Enfermagem em todos os dias do estágio, bem como aplicação da Sistematização da Assistência de Enfermagem por meio da CIPE® 2015.

Veja o artigo completo: PDF