Resumo Trabalho

A VISÃO DE ACADÊMICOS DE TERAPIA OCUPACIONAL NA LUDOTERAPIA DOS PALHAÇOS DOUTORES COM OS PACIENTES IDOSOS EM TRATAMENTO DE HEMODIÁLISE: RELATO DE EXPERIÊNCIA

KARINA SANTOS DE MOURA , EDUARDA MICHAELLE DA SILVA ALVES, LUCAS KAYZAN BARBOSA DA SILVA e orientado por MARIA ROSA DA SILVA e orientado por MARIA ROSA DA SILVA

A terapia Ocupacional se encontra entre as profissões envolvidas na atenção ao indivíduo idoso, promovendo diversas atividades produtivas e com significado para essas pessoas, buscando independência e autonomia, desenvolvendo estratégias na promoção de saúde e cuidados aos indivíduos que se encontram em situações vulneráveis. Além disso, percebe-se que a presença do “clown” no ambiente hospitalar junto com o idoso mostrou-se extremamente eficiente na estimulação física e cognitiva do paciente hospitalizado. O uso do lúdico, nesse contexto, busca atender ao idoso, por acreditar que eles também precisem se beneficiar com essa intervenção em relação aos problemas enfrentados por causa das doenças e da internação, com isso, desenvolve-se o afeto e a sensibilidade, na tentativa de romper a objetividade em excesso comumente vista em hospitais. Com isso, esse trabalho tem como objetivo relatar as experiências de acadêmicas de Terapia Ocupacional na atuação do palhaço doutor com os indivíduos idosos durante o tratamento de hemodiálise, buscando um cuidado mais humanizando no envelhecimento humano. Esse método trata-se de um trabalho descritivo, do tipo relato de experiência, sendo parte da vivência dos integrantes do Projeto de Extensão Sorriso de Plantão, trabalho voluntário de estudantes universitários que atuam em cinco hospitais de Maceió- AL, porém o trabalho refere-se as experiências vividas no Hospital Universitário Professor Alberto Antunes com os pacientes idosos que fazem o tratamento da hemodiálise, sendo as atividades praticadas aos sábados, no período da tarde. Na aplicação desse tratamento, utilizam-se a figura do palhaço doutor, tendo na atuação recursos, como canções com instrumentos musicais, jogos, brincadeiras, danças, dentro da nefrologia e durante o tratamento de hemodiálise. Resultando-se na aplicabilidade desse encontro semanal, onde o grupo de estudantes universitários se deslocam para o hospital, vestem-se de palhaços doutores, utilizando o jaleco como proteção, porém de forma decorada com acessórios e maquiagens de clown, os palhaços vão para a nefrologia, que atualmente, aos sábados, os pacientes encontrados são os idosos. As atividades começam quando os pacientes permitem a entrada dos palhaços doutores, ao entrar o grupo conversa com os idosos para estabelecimento de vínculo e perguntam as músicas que eles gostam e desejam ouvir. No turno da tarde, percebe-se o interesse e o envolvimento dos pacientes, criando vínculos entre os palhaços doutores, pacientes e profissionais presentes, esses indivíduos dedicam música para outros que também estão em tratamento, contam suas histórias de vida, obtendo uma harmonia e redução da ociosidade causada pela doença. Ao final da tarde, os idosos agradecem a participação dos palhaços doutores e solicitam que voltem na semana seguinte. Conclui-se que as práticas permitem aos estudantes o desenvolvimento de habilidades lúdicas, sensibilizando-os para promover um cuidado mais humanizado com os pacientes idosos que fazem o tratamento de hemodiálise.

Veja o artigo completo: PDF