Resumo Trabalho

ENVELHECIMENTO HUMANO: ACÕES DE PROMOÇÃO Á SAÚDE E PREVENÇÃO DO PÉ DIABÉTICO.

CAMILA CAROLINE DA SILVA , EDNA ANDRADE DOS SANTOS, LAÍS ALVES DA SILVA, MORGANA PEREIRA DE OLIVEIRA e orientado por MARCOS ÁNDRE ARAÚJO DUQUE e orientado por MARCOS ÁNDRE ARAÚJO DUQUE

O envelhecimento é entendido como um processo natural, progressivo e dinâmico que torna o organismo mais frágil a agressões e deformidades. Nesse processo existem diversas alterações morfológicas, funcionais e fisiológicas, aumentando assim o risco de desenvolver diversas doenças, entre elas as que afetam o controle sensorial e motor dos pés. Trata-se de uma revisão literária na qual a seleção dos artigos científicos foi realizada através dos seguintes bancos de dados: Literatura Latino- Americana e do caribe em Ciências da Saúde (LILACS), utilizando como descritores no Decs (Descritores em Ciências da Saúde): Envelhecimento, Pédiabético.Foram encontrados 20 artigos, sendo 8 selecionados para este estudo, por se tratarem especificamente do referido tema. Os critérios de inclusão utilizados foram artigos que falavam sobre pacientes idosos portadores de diabetes com complicações nos pés. Estudos que disponibilizaram texto completo online e no idioma português, no período de 2010 a março de 2017. Os critérios de exclusão foram: artigos que não apresentavam texto completo, e também os que falava de outras complicações decorrentes do diabetes. Algumas dessas complicações acontecem por alterações nos nervos, podendo incluir alguns sintomas sensitivos como parestesias, sensação de queimação em extremidade, sintomas de ordem motora como atrofia muscular e fraqueza. Movimento articular limitado, patologias do sistema circulatório periférico e diminuição da força motora dos pés.Devido a essas diversas complicações é de grande importância a avaliação dos membros inferiores nas primeiras consultas pelos os profissionais de saúde, em grande destaque os enfermeiros e médicos. O cuidado com os pés dos pacientes diabéticos envolve várias medidas que exigem colaboração e responsabilidade tanto do paciente como do profissional, sendo a atividade educativa a maior ferramenta para contribuir para a prevenção do pé diabético e consequentes amputações das extremidades inferiores, possibilitando a sensibilizar os indivíduos para o desenvolvimento de habilidades para o autocuidado e mudanças do estilo de vida, trata-se de um problema que se manifesta de forma prolongada, mas com alto custo.

Veja o artigo completo: PDF