Resumo Trabalho

MORBIDADE HOSPITALAR EM IDOSOS POR NEOPLASIA MALIGNA DE PRÓSTATA NO BRASIL: CARACTERÍSTICAS EPIDEMIOLÓGICAS

WAGNER MACIEL SARMENTO, GABRIELLA SILVA NOGUEIRA, GEANE SARA DE HOLANDA, MAYRANE MISAYANE SOUSA DOS SANTOS e orientado por LARYSSA LINS DE ARAÚJO e orientado por LARYSSA LINS DE ARAÚJO

O câncer de próstata é considerado a segunda neoplasia mais comum entre os homens, sendo diagnosticado principalmente em idosos acima de 65 anos. A morbidade hospitalar em idosos relacionadas a neoplasias vem demonstrando um recente e intenso aumento. Objetivou-se com esta pesquisa identificar os índices de morbidade hospitalar do SUS por neoplasias malignas de próstata no Brasil e avaliar as características epidemiológicas dos idosos internados com esta condição. Trata-se de um estudo retrospectivo, de fonte secundária e natureza descritiva com abordagem quantitativa realizado no período de agosto a setembro de 2017 utilizando-se de informações provenientes do Sistema de Internações hospitalares (SIH/SUS). A população do estudo foi constituída pelas notificações de internações por neoplasia maligna de próstata e selecionou-se como amostra os registros referentes aos casos ocorridos em pessoas com 60 anos ou mais de idade, notificadas no Brasil entre 2008 a 2016. As variáveis utilizadas foram: faixa etária, região de notificação e raça/cor. Constatou-se que houve um crescimento gradual do número de casos de neoplasia maligna de próstata no Brasil salvo o ano de 2016, com maior prevalência na Região Sudeste. Observou-se uma predominância em homens brancos com faixa etária entre 60 a 69 anos. O elevado número de casos reforça a necessidade da efetivação de ações voltadas à promoção da saúde e prevenção de agravos direcionados a população de risco e, assim, contribuir para a diminuição dos índices de internações.

Veja o artigo completo: PDF