Resumo Trabalho

MOTIVAÇÃO PARA A PRÁTICA ESPORTIVA COMPETITIVA – UM ESTUDO DE CASO

MARCELLA FERNANDES PATICCIÉ NACIF, ELISÂNGELA JERONIMO, ROSANA FERREIRA PESSOA, LUANA KAROLIENE FERREIRA e orientado por MARIA ELISA CAPUTO FERREIRA e orientado por MARIA ELISA CAPUTO FERREIRA

INTRODUÇÃO: O envelhecimento tem sido descrito, de um modo geral, como uma fase da vida marcada por transformações bio-psico-sócio-culturais. A população passou a ter diferentes preocupações frente aos fatores que podem influenciar, de maneira positiva ou negativa, esta nova etapa da vida. Diante disso, é cada vez mais frequente a procura por estilos de vida saudáveis que possam influenciar no processo de envelhecimento e a busca por práticas esportivas tem sido uma das opções desejadas. Nesse sentido, diante da relação que o esporte pode exercer com o envelhecimento e da pequena quantidade de estudos com idosos acima de 70 anos que estão inseridos na prática esportiva competitiva, surge a necessidade de ampliar o entendimento sobre o mesmo, e consequententemente, encorajar outros idosos à prática. Sendo assim, o objetivo do presente estudo foi, através de um estudo de caso, compreender as motivações que levaram um idoso de 72 anos a estar inserido na prática esportiva competitiva. MÉTODOS: O presente estudo apresenta características qualitativas, descritivas e transversais.O projeto de pesquisa foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa em Seres Humanos da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), seguindo a Resolução nº 466/12.A amostra consistiu de apenas um indivíduo, homem de 72 anos e praticante de futebol competitivo, da cidade de Santos Dumont - MG. Como instrumento para coleta de dados foi utilizada uma entrevista semiestruturada. RESULTADOS E DISCUSSÃO: Após fazer a análise da entrevista, a primeira motivação que o entrevistado relata para ter começado a praticar o futebol competitivo foi por ter recebido convite de amigos para ir a uma “pelada”. De acordo com Massarella, o motivo que levou os idosos a se engajarem na prática de corrida foi a influência de alguém com quem existia um vínculo afetivo; Como outro fator motivador, o entrevistado citou o fato de estar e permanecer saudável nessa idade. Rosenberg verificou que idosos se engajaram em esportes para melhoria da saúde e mudança de alguns hábitos; Como terceiro e último fator motivador, foi destacado pelo entrevistado o fato de melhorar a autoestima. De acordo com Ferrand, a maior parte dos idosos foi motivado por se sentirem bem-sucedidos com a prática e com os benefícios que o esporte proporcionou. CONCLUSÃO: Este estudo de caso proporcionou compreender um pouco sobre as motivações que cercam a vida de uma pessoa idosa para iniciar uma prática esportiva competitiva. Foi possível perceber que a família, os amigos, o aumento da autoestima e a melhora da saúde são essências para que o esporte comece a fazer parte da vida de idosos, bem como para que eles permaneçam e também participem de forma competitiva. Entretanto, maiores estudos devem ser realizados a fim de corroborar a este, bem como saber se existem outros motivos para que a prática esportiva competitiva seja almejada. Além disso é importante outras pesquisas para que esse hábito da prática esportiva seja estimulado em idosos, com o intuito de que sejam beneficiados em sua saúde, alcançando assim cada vez mais a longevidade.

Veja o artigo completo: PDF