Resumo Trabalho

A UTILIZAÇÃO DE INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO DA FUNCIONALIDADE DA PESSOA IDOSA NA CONSULTA DE ENFERMAGEM: RELATO DE EXPERIÊNCIA

ALWSCA LAYANE GONÇALVES ROLIM, BRUNA ALVES, IZABEL PATRÍCIO BEZERRA, NAYANNE DA SILVA SOUZA e orientado por RAYRLA CRISTINA DE ABREU TEMOTEO e orientado por RAYRLA CRISTINA DE ABREU TEMOTEO

O envelhecimento é caracterizado como uma fase da vida permeada por alterações fisiológicas, que culminam, por vezes, em deficits cognitivos, diminuição da autonomia e independencia, e dificuldade nas atividades de vida diária. Com isso, faz-se necessário que os serviços de saúde busquem se adequar a demanda dessa população, e os profissionais de saúde lancem mão de meios para avaliar a capacidade funcional desses idosos, a fim de lhe prestarem uma melhor asssistência. Diante da relevância dessa temática, esse estudo objetiva relatar a experiência vivenciada por acadêmicas de enfermagem a respeito da utilização de instrumentos de avaliação da capacidade funcional do idoso, durante a consulta de enfermagem. Trata-se de um trabalho de natureza descritiva, do tipo relato de experiência, a partir da vivência de discentes da disciplina Enfermagem em saúde de idoso, do curso de graduação em enfermagem. Foi realizado uma aula prática em um condomínio para idosos, onde foi realizado uma consulta de enfermagem e utilizado instrumentos de avaliação geriátrica, sendo eles: Escala de Avaliação do Equilíbrio e da Marcha de Tinetti, o Miniexame do Estado Mental (MEEM), Teste de Alcance Funcional (TAF), “Timed Up and Go”(TUG) e a disponibilidade e adequação de suporte familiar e social. A partir dessa consulta, pode-se perceber a importância da utilização de cada uma dessas escalas, posto que, além de serem de fácil acesso e utilização, permitem avaliar o idoso na sua totalidade, pois cada teste analisa um aspecto da vida do longevo, e assim se pode mensurar risco de quedas, risco para desenvolvimento de demencia, se as alterações comuns do processo de envelhecimento está comprometendo a relação familiar, além de mensurar o nível de independência e autonomia do idoso. Portanto, conclui-se que a consulta de enfermagem é uma importante estratégia para trabalhar a saúde do idoso, e que esta não deve ser tecnicista, buscando-se uma avaliação integral da pessoa idosa, esses instrumentos se apresentam como de grande relevância para subsidiar ações de enfermagem eficazes.

Veja o artigo completo: PDF