Resumo Trabalho

PERFIL E AUTOPERCEPÇÃO DE USUÁRIOS DESDENTADOS SOBRE A RELAÇÃO EDENTULISMO E ENVELHECIMENTO EM MUNICÍPIO DO INTERIOR DO NORDESTE BRASILEIRO

LUCAS RICHTER DE OLIVEIRA DANTAS

INTRODUÇÃO: O termo edentulismo representa a ausência de dentes na cavidade oral, culturalmente associado com o processo natural de envelhecimento humano. Seus impactos podem ser notados pela diminuição das capacidades funcionais de mastigação e fonação, bem como por prejuízos de ordem nutricional, estética e psicológica, com reduções da autoestima e da integração social. A obtenção de dados epidemiológicos sobre o edentulismo são importantes para serem usados no planejamento e monitoramento de ações de promoção de saúde bucal. Este trabalho se justifica para o conhecimento do perfil de pacientes desdentados e grau de autopercepção sobre o edentulismo e o processo natural de envelhecimento humano, em localidade que apresenta elevado fluxo destes pacientes e não possui estudos semelhantes na área. OBJETIVO: Identificar o perfil de usuários desdentados do sistema público de saúde em município da região nordeste do Brasil, e sua autopercepção entre edentulismo e processo de envelhecimento humano. METODOLOGIA: Trata-se de uma pesquisa transversal de natureza quantitativa, com critérios de inclusão correspondentes a usuários do sistema público de saúde, maiores de dezoito anos, com ausência de doze ou mais elementos dentários e apresentando espaços protéticos. A coleta de dados é feita através de um questionário, construído pelo pesquisador responsável, com informações relativas a dados gerais, dados clínicos, exame físico e relação edentulismo e envelhecimento. A autopercepção em relação à condição oral é medida pelo índice GOHAI (Geriatric Oral Health Assessment Index). A terceira parte do questionário coleta dados de saúde geral (peso, altura, índice de massa corporal, circunferência abdominal e presença de doenças crônicas não-transmissíveis). A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética e Pesquisa da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (FACISA/UFRN) sob o parecer 2.063.383. RESULTADOS: Os primeiros resultados obtidos da referida pesquisa foram coletados durante o mês de julho de 2017. Foram estudados 48 sujeitos. A predominância é do sexo masculino (54,1%) com média de idade de 56,2 anos (DP ±13,53). Os sujeitos entrevistados apresentam ensino fundamental incompleto (45,8%). O edentulismo funcional representa a maioria dos sujeitos (75%) havendo uma proximidade em relação a quantidade de elementos dentários já extraídos. A maioria dos sujeitos está na condição desdentada há mais de 10 anos (54,1%) e não utiliza prótese dentária (66%). O peso acima do adequado é encontrado em 51,8% dos sujeitos. O uso do instrumento GOHAI evidenciou que 87,5% dos sujeitos apresentam uma baixa autopercepção da condição oral, exibindo que a condição oral influencia nas funções nutricionais, fonéticas e psicológicas. CONCLUSÃO: A autopercepção de saúde bucal, classificada como baixa, pode ser considerada condizente com o perfil socioeconômico dos sujeitos entrevistados, em que se percebe a alta prevalência de dentes extraídos e a necessidade do uso de prótese dentária.

Veja o artigo completo: PDF