Resumo Trabalho

SÍNDROME METABÓLICA EM HIPERTENSOS RESIDENTES NA CEILÂNDIA – DF

MANOELA VIEIRA GOMES DA COSTA e orientado por MARINA MORATO STIVAL e orientado por MARINA MORATO STIVAL

Introdução: As doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) são as principais causas de morte no mundo, correspondendo a 63% dos óbitos em 2008. Dentre estas doenças em especial destaca-se a Hipertensão arterial (HAS). No Brasil, a HAS atinge, em média, 25% da população, chegando a mais de 50% na terceira idade. A HAS é uma das importantes manifestações do grupo de anormalidades clínicas que caracterizam a Síndrome Metabólica (SM), encontrada em 30 a 40% dos hipertensos. De acordo com a definição AdultsTreatment Painel, ATP III (NCEP-ATP III), são classificados como portadores de SM aqueles que apresentam três ou mais dos seguintes componentes: circunferência abdominal (CA) elevada, aumento dos níveis de triglicérides séricos, redução do High Density Lipoprotein Cholesterol (HDL-C), hipertensão arterial sistêmica, hiperglicemia Objetivo: analisar a prevalência da síndrome metabólica (SM) em indivíduos com hipertensão arterial de uma Unidade de Saúde de uma Regional Administrativa do Distrito Federal. Método: estudo transversal, descritivo realizado em uma Unidade de Saúde com amostra aleatória de 115 pacientes. Foram coletados peso e estatura, mensurada a pressão arterial, coletado sangue por punção venosa e determinado a composição corporal pelo DEXA. A SM foi estabelecida de acordo com os critérios propostos pela NCEP-ATP III. Os dados foram analisados no SPSS. Resultados: dos 115 pacientes hipertensos, a maioria era (87,8%) do sexo feminino, com uma média de idade de 63,5±10,1 anos. Observou-se que 104 (90,5%) eram portadores da SM, sendo maior nas mulheres (94,1%). 27,0% apresentaram três componentes 36,5% quatro componentes e 27,0% todos os cinco componentes. Ocorreu um aumento significativo da média do triglicerídeo e da glicose com o aumento do número de componentes da SM. Outra relação significativa foi entre a média do HDL e os componentes da SM. A relação entre gordura corporal e número de componentes de SM foi significativa (p<0,001). Conclusão: Conhecer a prevalência dessa síndrome em grupos específicos (hipertensos), e na população em geral, contribui para adoção de medidas efetivas de promoção da saúde.

Veja o artigo completo: PDF